sexta-feira, outubro 30, 2009

PP Lição 5 - O sistema de ventilação da casa do nosso corpo - Vol. 2 - Nº 4


O SISTEMA DE VENTILAÇÃO DA CASA DE NOSSO CORPO
OBJETIVO:.
Ao final da lição a criança deverá
CONHECER o funcionamento do sistema respiratório; a importância da oração
SENTIR sua necessidade de respirar ar puro e de orar continuamente
RESPONDER  procurando melhorar sua respiração e estabelecendo hábitos de oração.
VERSO PARA MEMORIZAR: “O Espírito de Deus me fez; e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida.”Jô 33:4.
LEITURA AUXILIAR:
RECURSOS NECESSÁRIOS: Memorizando: catavento, Bíblia; apresentando a lição: figura do sistema respiratório, figuras CO2 e O2; aplicando: vasinha com planta, figura do CO2 e O2 coladas em prendedores de roupas ou clips ou fita adesiva ou amarrado com barbante; contando aos outros:  atividade Minhas trocas
PROGRAMA DA ESCOLA SABATINA
1. ABERTURA (até 5 minutos):
A.     Boas-vindas –
B.     Cânticos:
C.     Oração
2. MOMENTOS ESPECIAIS (até 5 minutos)
A.     Apresentar e cumprimentar as visitas. Dar uma lembrancinha especial de boas-vindas.
B.     Verificar com antecedência se há aniversariante. Se houver, cantar e orar pedindo que Deus a abençoe. Também pode dar oportunidade para uma oferta de gratidão.
3. MISSÕES (Até 5 minutos)
A.     Contar história missionária.
B.     Cantar enquanto a oferta é recolhida.

4. MEMORIZANDO (até 10 minutos): Com antecedência, preparar um cata-vento (ou comprar um pronto). Dizer: Vocês sabem quando é que um bebê começa a respirar? Sim. Quando ele nasce. Mas há um detalhe muito importante. O bebê não fica pensando: “Tenho de respirar para não morrer.” Não. Sua respiração é automática. Deus fez assim. No dia em que nascemos Deus nos deu o fôlego de vida e nos mantêm respirando minuto a minuto enquanto vivemos. Que maravilha! Podemos ser muito gratos a Ele por isso. Nosso verso para memorizar desta semana diz (ler na Bíblia, na mesma versão em que será memorizado): “O Espírito de Deus me fez; e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida.” Jó 33:4. É o poder de Deus que nos mantém respirando a cada momento. É Ele que garante que nosso fôlego não  se apague como a chama de uma vela. Vamos memorizá-lo? Recitar o verso três vezes com a classe toda. Dividir a classe em duplas. Chamar uma dupla à frente. Um aluno deve segurar o cata-vento e dizer: “O Espírito de Deus me fez”. Passar o cata-vento para o outro aluno que deverá soprá-lo e dizer: “e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida.” Toda a sala deve repetir a referência. Repetir o processo com as outras duplas até que todos tenham participado.

5. CONQUISTANDO A ATENÇÃO (até 10 minutos): Vamos fazer um exercício respiratório? Fiquem em pé, com as costas bem retas. Fechem os olhos. Vou contar até três. A cada número que eu disser vocês devem inalar, ou seja, inspirar um pouco de ar. Depois, vou contar até três outra vez. E a cada número que eu disser vocês devem exalar, que é a mesma coisa que soltar, um pouco de ar. Entenderam? Fazer este exercício por umas cinco vezes, cuidando para não contar muito rápido ou muito lentamente. Depois dizer: Este é um excelente exercício para o sistema nervoso, pois leva oxigênio para nosso cérebro e nos traz calma. Quando vocês estiverem agitados, nervosos ou sem sono, usem esse exercício. Na verdade respirar é realmente muito importante. É sobre isso que vamos estudar hoje.
6. ESTUDO DA LIÇÃO (até 25 minutos, incluindo apresentação da lição, revisão, aplicação e contando aos outros):
A. APRESENTANDO A LIÇÃO:
.
Imaginem estar em uma casa bem bonita, mas que não tivesse nenhuma entrada de ar. Como seria? Toda casa precisa ter entrada e saída de ar. Isso é conhecido como sistema de ventilação. A casa de nosso corpo também tem um sistema de ventilação chamado SISTEMA RESPIRATÓRIO e é constituído de nariz, garganta, traquéia, laringe, músculos da respiração e pulmões. Mostrar esquema do sistema respiratório. A função do sistema respiratório é introduzir ar puro no corpo e remover dióxido de carbono. Quando respiramos, trocamos o gás dióxido de carbono pelo gás oxigênio. Mostrar as figuras do CO2 e do O2. Sem recebermos oxigênio morreríamos em poucos minutos. Respirar é realmente vital.
            Mostrar um galho de árvore ( ou uma gravura) que seja bem cheio de galhinhos. Dizer: O ar que respiramos faz uma viagem interessante para chegar até nosso sangue. Vamos conhecer o seu percurso.
            Nosso pulmão não deve receber o ar com vem da atmosfera. O ar é freqüentemente seco, muito quente, muito frio ou sujo, quando o respiramos ou inalamos. Para quem vive nas cidades o ar é poluído pela fumaça de carros e fábricas.
            Para que o ar chegue na temperatura e umidade certas ao pulmão, nosso querido Criador providenciou um filtro umidificador e aquecedor em nosso nariz e garganta. À medida que for falando, mostrar no gráfico do Sistema respiratório o caminho que o ar faz.  Ao passar pelo nariz o ar é filtrado dos grãos de pó e aquecido nas fossas nasais. Do nariz o ar vai à garganta e à laringe. Abaixo da laringe aparece a traquéia, que se estende até os pulmões. Ela parece o tronco de uma árvore de cabeça para baixo. Virar o galho ou gravura de cabeça para baixo. Quando chega aos pulmões, divide-se em dois ramos chamados brônquios. Cada brônquio entra em um pulmão.  No interior dos pulmões os brônquios dividem-se em milhares de pequenos ramos e pequeninos galhos, até que o menor de todos seja fino como um fio de cabelo. Chamamos de bronquíolos essas pequenas ramificações. No fim de cada bronquíolo há um grupo de pequeninos sacos de ar, semelhantes a uvas, chamados alvéolos. Cada saco de ar tem em seu redor pequeninos vasos sanguíneos. Este é o fim da viagem do ar. Aqui as células vermelhas do sangue deixam o dióxido de carbono e retiram o oxigênio.
Agora o sangue está limpo e sua cor fica de um vermelho brilhante. O coração bombeia esse sangue rico em oxigênio através das artérias até as células dos tecidos. Ao mesmo tempo as células vermelhas retiram dióxido de carbono dos tecidos e o leva ao pulmão, de onde o exalamos para o ar.
Onde existem muitas plantas há bastante ar puro.
Por isso a vida no campo é muito mais saudável. Além de muitas plantas, no campo não há a terrível poluição das cidades, que sujam todo o nosso pulmão por dentro. Quando nascemos nosso pulmão tem uma cor rosada, mostrando saúde. Mostrar uma esponja nova, de preferência rosada.Mas os pulmões da maioria dos adultos, especialmente os que moram na cidade, ficam cinzentos por causa da fumaça e da poluição. Mergulhar a esponja em uma bacia contendo água tingida de cinza (usar corante preto, ou tinta guache preta, dissolvido na água. Se preferir, trazer uma esponja já suja e mostrá-la. Os pulmões dos fumantes ficam negros por causa dos venenos do alcatrão e da nicotina. Mostrar uma esponja bem suja com algo preto ou mergulhá-la em uma bacia com café ou shoyu ou óleo queimado (ter uma toalha de papel para limpar as mãos depois). Toda essa sujeira trás doenças terríveis por isso devemos nos afastar ao máximo do cigarro e da companhia daqueles que fumam. Os fumantes acabam sofrendo de diversas doenças que os deixam mais pálidos e fracos. Algumas dessas doenças trazem muito sofrimento e outras até mesmo a morte. Tudo porque não cuidaram direito de seus pulmões.
Agora quero que tentem ficar algum tempo sem respirar. Prendam a respiração e tentem segurá-la ao máximo. Vamos ver quem consegue ficar mais tempo sem respirar. Dar tempo para que todos tentem. Quando o último soltar a respiração, dizer: Não é nada agradável ficar sem respirar, não é mesmo? Em pouco tempo começamos sentir muito mal estar porque a vida depende do oxigênio do ar.  O Senhor diz que a oração é a respiração da alma. Não podemos viver sem oração, assim como não podemos viver sem ar. Podemos ler a Bíblia todos os dias e ir à igreja, mas isso não pode substituir a oração. Se não orarmos, ficaremos envenenados de pensamentos egoístas. Logo nos esqueceremos de Jesus e tentaremos fazer coisas em nossa própria força. Por isso devemos estar sempre em oração.

B. REVISANDO E AMPLIANDO: Corrigir o questionário da lição. Não corrigir a pergunta 2 de quinta-feira.
C. APLICANDO:
Nós precisamos de oxigênio para viver. Nosso mundo está repleto de pessoas e animais respirando. Por que o oxigênio não se esgota? Nosso sábio Criador fez um sistema de troca entre plantas, pessoas e animais. Mostrar a figura do CO2 e aproximar-se do vaso de planta.O dióxido de carbono, que é venenoso para nós e os animais, é importante alimento para as plantas. Elas inalam o dióxido de carbono que nós exalamos e exalam o oxigênio que nós precisamos inalar. Colocar a figura do Co2 na planta e tirar a figura do O2. Deus seja louvado pelas plantas! Esse maravilhoso plano de troca entre as pessoas, os animais e as plantas é que garante nossa vida.
            Distribuir uma cópia da atividade Trocas de Jesus/Minhas Trocas. Dizer:Há dois mil anos atrás Cristo, nosso Criador, fez a mais importante troca da História: Sendo o Rei do Universo, decidiu trocar seu palácio por uma mangedoura. Trocou a adoração dos anjos pela companhia dos animais na estrebaria. Abandonou sua carruagem de fogo por um burrinho emprestado. Trocou sua coroa de glória por uma coroa de espinhos. Trocou sua vida pura e perfeita por todos os nossos pecados. Jesus morreu para que possamos viver eternamente. Deus seja louvado por essa troca sem igual!
            Jesus trocou o Céu inteiro por uma vida na Terra entre pecadores. Que troca você faria para servi-Lo? Preencham o quadro Minhas Trocas. Em um lado preencha com as atrações que o mundo oferece e do outro escreva as coisas que Jesus promete dar-lhe em troca.

D. CONTANDO AOS OUTROS:
Dar uma cópia da atividade Trocas de Jesus/Minhas Trocas para cada aluno levar para casa e ajudar alguém a preenchê-la.




7. ENCERRAMENTO (até 5 minutos): Cantar “Tudo Entregarei” do hinário “Louvores ao Rei”.
8. ENSAIO PARA A PRÓXIMA APRESENTAÇÃO NA IGREJA (até 10 minutos).

Como preparar os recursos necessários:

Aplicando:
Copiar as figuras abaixo e recortá-las. Colar em cartolina ou papel cartão. Colar um prendedor ou clipe ou amarrar um cordão nas figuras de maneira a prendê-las com facilidade em um galho de planta.









quinta-feira, outubro 22, 2009

Tesouros Infantis V2N4 - Lição 4

Lição 4
Os dois construtores de casas




Ao final da lição a criança deverá:
SABER que Jesus é a rocha e que ela tem algo a construir: o seu caráter;
SENTIR que depende de Jesus para construir seu caráter;
RESPONDER pedindo a Jesus que a ajude a ser bondosa e não tentando fazer isso sozinha.
VERSO PARA MEMORIZAR: . “O Senhor é a minha rocha.” Salmo 18:2.
LEITURA AUXILIAR: Mateus 7:24-27; Lucas 6:46-49; Reflexões Sobre o Sermão da Montanha, págs 165-171.

RECURSOS NECESSÁRIOS: Memorizando: Opção A: pedra grande ou pequena; Opção B: papel pedra, mesinha, bolas de papel amassado; Conquistando a Atenção: pedra(s), um pouco de areia, jarra ou garrafa com água, bacia para aparar a água; Lição: casinha de caixa de sapato, caixa maior forrada com papel pedra, tecido, martelo, prego, serrote (de preferência de brinquedo ou de papel) papel picado ou sobra de perfurador de papel, nuvem de cartolina; Revisando: caixas de fósforo ou leite encapadas com papel pedra e numeradas; Aplicando: os mesmos “tijolinhos” de revisando, pedaço de tecido, fita adesiva. Contando aos Outros: folhas de papel sulfite, tesouras.

COMO PREPARAR OS RECURSOS NECESSÁRIOS

Memorizando:
Opção B - Encapar o tampo de uma mesinha com papel pedra. Deitar a mesinha de lado.

Lição:
maquete:
Encapar uma caixa (de papelão ou madeira) com papel pedra. Colocar uma boa quantidade de fita adesiva dupla face no local onde será colocada a casa do homem sábio, de  maneira que, ao colocar a casa, ela fique bem fixada e não caia quando chegar a “tempestade”. Também pode-se usar velcro.

nuvem:
1. Desenhar uma nuvem em papel cartão cinza, preto ou azul escuro.
2. Desenhar pequenas gotas em papel laminado prata, colar em cartolina e recortar.
3. Colar fios de linha de pescar em diversos comprimentos  na nuvem.
Colar as gotas na ponta dos fios.

casa:
1. Usar uma caixa de sapato de tamanho proporcional ao tamanho da caixa que será usada para contar a história.
2. Encapar com papel liso e desenhar as portas e janelas. Como é uma casa oriental, o telhado pode ser a própria tampa da caixa de sapato.
Se quiser sofisticar, faça o desenho de uma casa em E.V.A. e cole as partes com cola quente.

Contando aos Outros:
1. Dobrar uma folha de sulfite ao meio e desenhar o contorno de uma casa.
2. Recortar no contorno e abrir para aparecer a casa inteira.











MEMORIZANDO: [Ler o verso na Bíblia, na mesma versão que vai ensinar. Dizer:] Rocha é uma pedra. Ela é forte e resistente. Se alguém se esconder atrás de uma rocha ficará protegido. Se construir sobre uma pedra grande, a casa ficará firme. Jesus é forte como uma rocha. Quando vocês estiverem em dificuldades digam: “O Senhor é a minha rocha.” Com Ele estamos protegidos.

Opção A: [Usar uma pedra que tenha pelo menos do tamanho de um paralelepípedo. Pedir a uma criança que suba na pedra e diga o verso. Depois, toda a classe recita a referência. VARIAÇÃO: levar uma pedra menor para que as crianças peguem e sintam sua textura. Deixar que elas tentem quebrar a pedra apertando-a com força (tomar muito cuidado para não haver acidentes). Se preferir, mostrar fotos de montanhas de pedra (tipo o “Pão de Açúcar”, no Rio de Janeiro) ou casas construídas sobre pedras. Uma criança deve pegar a pedra ou a gravura, dizer o verso e passar para a próxima criança. Continuar o processo até que todas tenham recitado o verso. Ao final, todos devem recitar o verso completo juntos.]

Opção B: [Deixar que uma criança se esconda atrás da mesinha encapada com papel pedra. Outra criança deve atirar bolas de papel contra a mesa. Depois, a criança que está escondida deve sair e dizer: “O Senhor é a minha rocha.” Todos falam a referência. Continuar o processo com outras crianças até que o verso tenha sido memorizado. Esta atividade sugere que a rocha é forte e protege.]

CONQUISTANDO A ATENÇÃO: [Pedir para um adulto auxiliar nesta atividade. Colocar uma bacia sobre a mesa. Pegar um pouco de areia na mão ou pedir para que uma criança pegue. Perguntar:] O que tenho na mão? Vamos jogar um pouco de água para ver o que acontece. [Abrir a mão cheia de areia e pedir para que o adulto auxiliar jogue água em cima de sua mão.] O que aconteceu? A areia foi junto com a água. Eu não consegui segurar a areia. [Pegar as pedras e perguntar:] E agora? O que tenho em minhas mãos? Pedra ou rocha.  Vamos jogar água em cima da rocha para ver o que acontece. [Abrir a mão cheia de pedras (pode ser apenas uma, grande) e pedir para que o adulto auxiliar jogue água em cima de sua mão.] A rocha escorreu junto com a água? Desmanchou? Só molhou não é mesmo? As rochas continuam todas aqui, nem se mexeram. A história que vamos ouvir hoje, fala de areia e pedras.

APRESENTANDO A LIÇÃO: [Abrir a Bíblia no cenário da história e dizer:] A história de hoje está escrita na Bíblia no livro de Mateus capítulo 7 e versos 24 a 26. Certo dia Jesus estava pregando para a multidão e contou a seguinte história:
Dois homens queriam construir suas casas. Eles então pegaram suas ferramentas, o martelo, o prego, o serrote, etc. [Mostrar as ferramentas.] E foram procurar um lugar para construir.
O primeiro homem era muito sábio, inteligente, e quis achar um lugar seguro para construir. Andou, andou, subiu um morro e encontrou um lugar  onde  havia uma grande rocha. [Colocar a caixa encapada com papel pedra com a abertura para baixo.] Apesar de ser tão longe e ter que andar muito para chegar lá, ele gostou do terreno. Pegou então suas ferramentas e começou o seu trabalho. Serra, serra, bate, bate. [Fazer os movimentos com as crianças usando as ferramentas de brinquedo ou apenas imitando.]  Ele trabalhava muito, pois o lugar que escolheu era difícil: tinha que quebrar a rocha, e a rocha é muito dura. Ele ficou muito cansado e suas mãos ficaram doloridas. [Fazer expressão de cansaço e dor.] Mas ele não desistiu porque sabia que ali era um lugar seguro e continuou o seu trabalho. Serra, serra, bate, bate. [Fazer os movimentos com as crianças.] Até que um dia ele terminou. [Colocar a casinha em cima da caixa, fixando-a na fita adesiva.] Então ele entrou dentro da sua casa e foi descansar. Algum tempo depois veio uma grande tempestade e a chuva caiu forte. [Colocar a nuvem em cima  ou jogar papel picado ou sobra de perfuradores para imitar a chuva.] E vento soprou. [Pedir para as crianças assoprarem e balançar o cenário.] Apesar de tudo, a casa do homem continuou firme e suportou toda a tempestade, pois a casa fora construída sobre a rocha.
O segundo homem também foi procurar um lugar para construir sua casa. Mas ele era muito tolo, sem juízo. E encontrou um lugar com a terra bem fofinha, muito boa para cavar. Como ele não queria ter muito trabalho, resolveu construir ali mesmo. Pegou então suas ferramentas e começou o trabalho. [Mostrar novamente as ferramentas.] Serra, serra, bate, bate. [Fazer os movimentos com as crianças. Trocar o cenário, virando a caixa com a abertura para cima. e estendendo o pano bem esticadinho sobre ela. Prender uma extremidade do pano sob um dos lados da caixa. Segurar a outra extremidade com uma das mãos.]  Não demorou muito e sua casa já estava pronta e ele quase não teve trabalho. [Colocar a casa sobre o pano esticado.]  Ele então entrou na casa e foi descansar. Não demorou muito tempo, veio uma tempestade. A chuva caiu e o vento soprou forte. [Jogar papel picado e pedir que as crianças soprem.] O rio se encheu de água e começou a subir. Logo a água do rio alcançou a casa. Ela começou a tremer, não resistiu e desmoronou. [Soltar o pano, para que afunde na caixa com a casa.] A casa não aguentou a tempestade porque estava construída sobre a areia e a areia não é firme como a rocha. E, causa de sua tolice e preguiça, aquele homem perdeu tudo o que tinha.
Jesus disse que quem escuta a Palavra de Deus e obedece é tão sábio e inteligente como aquele homem que construiu a casa sobre a rocha. Mas quem ouve e não obedece é muito tolo, sem juízo, igual ao homem que construiu sobre a areia.

REVISANDO: [Encapar caixas de fósforo ou de leite com papel pardo ou na cor de tijolos. Numerá-los e deixar que as crianças escolham seus tijolos e depois respondam as perguntas (pág. 54) correspondentes aos tijolos. À medida que forem acertando elas devem trazer os tijolos para construir uma parede. Quem errar deve escolher um “remidor” para ter direito de colocar seu tijolo na construção.]

APLICANDO: [Usar os tijolinhos de revisando. Esticar um pedaço de tecido sobre parte da mesa. Ao citar as situações abaixo, procurar usar nomes diferentes dos das crianças de sua sala. Dizer:]
Jesus explicou que também estamos construindo alguma coisa. Só que não é uma casa, é um caráter. O material para a construção de nosso caráter são nossos pensamentos, nossas palavras e ações. A Rocha é Jesus.  Se amarmos a Jesus, falaremos boas palavras e faremos coisas boas: isto é construir sobre a Rocha. Agora, se não amamos a Jesus e não obedecemos ou queremos ser bons sem a ajuda dEle, estamos construindo sobre a areia. Lembrem-se de que Ele disse que quem escuta a Palavra de Deus e obedece é sábio, inteligente. Quem escuta e não obedece é tolo, sem juízo.
Vou falar algumas coisas. Se o que eu falar for uma coisa boa, sábia vamos colocar o tijolo sobre a rocha, que é a nossa mesa. Se o que eu falar for uma coisa ruim, tola, vamos colocar o tijolo sobre a areia, esse tecido aqui. Vamos ver o que acontece com a construção.
Jesus disse que devemos ser obedientes a nossos pais. Mamãe mandou Filipe ir para o banho e ele obedeceu rapidamente. Ele obedeceu à palavra de Jesus? Sim. Ele foi sábio ou tolo? Ele foi sábio. Vamos colocar o tijolo sobre a rocha. [Colocar o tijolinho sobre a “rocha” (mesa ou caixa).]
Jesus disse que não devemos pegar as coisas dos outros. Márcia encontrou o lápis que sua amiga havia perdido e não o devolveu. Ela obedeceu à palavra de Jesus? Não. Ela foi tola. Onde devemos colocar o tijolinho? Isso mesmo? Sobre a areia. [Colocar o tijolinho sobre o tecido esticado.]
[Continuar assim até fazer uma pequena parede. Para garantir que a parede construída sobre a rocha não caia, pode-se prender as partes com fita adesiva. Mais sugestões de situações:]
A Palavra de Deus diz que devemos dividir o que temos com os que têm menos que nós. Na hora do recreio, Pedro percebeu que seu amigo Marcos não tinha lanche. Então Ele dividiu seu sanduíche com o amigo. Ele obedeceu à Palavra de Deus? Sim. Ele foi sábio ou tolo? Onde ele construiu? [Sobre a rocha.]
Jesus diz que devemos santificar o dia do sábado. Paulo brincou toda a tarde de sexta-feira e depois do pôr-do-sol seus brinquedos estavam espalhados pelo quarto. Ele obedeceu a Jesus? Não. Ele foi sábio ou tolo? Onde ele construiu? [Sobre a areia.]
Jesus diz que não podemos fazer nada de bom sem a ajuda dEle. Mariana acha que é muito bondosa e que não precisa orar ou ler a Bíblia. Ela pensa que não precisa da ajuda de Jesus. Ela é sábia ou tola? Onde ela está construindo? [Sobre a areia.]
 Jesus diz que devemos amar nossos inimigos. Patrícia viu quando a menina que riu dela na classe caiu e espalhou seus livros pela calçada. Patrícia foi lá e ajudou-a a juntar os livros. Ela obedeceu a Jesus ou não? Sim. Ela foi sábia ou tola? Onde ela construiu? [Sobre a rocha.]
[Acrescentar outras situações, se quiser. Quando conseguir uma parede mais ou menos pronta, dizer:] Se nós construirmos sobre a Rocha, obedecendo à Palavra de Deus, quando vier uma dificuldade ou uma tentação nós continuaremos firmes como esta parede que fizemos aqui. [Apontar para a parede construída sobre a “rocha”.] Se construirmos sobre a areia, desobedecendo às ordens de Deus, quando enfrentarmos um problema nós vamos desanimar e ficaremos como esta parede aqui. [Puxar o tecido e derrubar os tijolinhos.]
[Finalizar, dizendo:] Sem Jesus, você não consegue ser bom. Então peça a Ele para Ser o Seu companheiro e assim você construirá sobre a Rocha.

CONTANDO AOS OUTROS:
[Dar para as crianças uma folha de papel sulfite, dividida em duas partes. Ensiná-las a recortar a casa (modelo abaixo) e contar a história. Na hora de contar que a casa sobre a areia cedeu e foi destruída, a criança deve amassá-la. Dizer:] Vocês devem encontrar alguém para contar essa história. Não se esqueçam de explicar que ser sábio é ser obediente à Palavra de Deus e ser tolo é ser desobediente à Palavra de Deus.






sexta-feira, outubro 16, 2009

Congresso da ASPA - maio de 2009 Tesouros Infantis



Tivemos um trabalho muito bom com as crianças de 6 a 8 anos. Pudemos perceber que Deus usou a equipe, assim como as das outras salas, para levar a mensagem de salvação e as crianças aprenderam muito. Graças a Deus por isso. Veja as fotos:




































terça-feira, outubro 13, 2009

Tesouros Infantis V2N4 - Lição 3

Lição 3
Jesus é nosso pastor


Ao final da lição a criança deverá:
SABER que Jesus é o Bom Pastor e tem grande amor por ela;
SENTIR-se amada e protegida por Jesus;
RESPONDER preferindo estar segura com Jesus e não perdida pelos pecados.

VERSO PARA MEMORIZAR: “O Senhor é o meu pastor; nada me faltará.” Salmo 23:1

LEITURA AUXILIAR:  João 10:11,14; Lucas 15:4-7; O Desejado de Todas as Nações, págs. 479-474; Parábolas de Jesus 186 a 191.

RECURSOS NECESSÁRIOS:  Memorizando: visuais abaixo; Conquistando a Atenção: figura de ovelha (opcional) ou uma ovelha de pelúcia ou brinquedo; lição: Opção A: maquete de aprisco, cópias montadas das ovelhas e do leão (abaixo) boneco vestido como pastor, curativos, embalagens de remédios; Opção B: cajado, tecidos verde e azul, almofadas, galho seco (opcional), sacola de pano, vidros de remédio, curativos, vassoura; Revisando: figuras recortadas de ovelhas (abaixo); Aplicando: duas vendas para os olhos, figura de Jesus (pode ser a mesma de memorizando), cruz; Contando aos Outros: cópias da atividade e uma ovelhinha  para cada criança, tesoura, cola, lápis de cor.

COMO PREPARAR OS RECURSOS NECESSÁRIOS

Memorizando: Fazer cópias das figuras abaixo e colorir. Colar entretela atrás e recortar.










Conquistando a atenção: Fazer cópia ampliada da ovelha e colá-la em papel cartão. Colar algodão em toda a ovelha, menos na boca e patas.  Colar um botão preto no lugar do olho. Para dar um toque colorido, pode-se amarrar uma fita vermelha no pescoço da ovelha. VARIAÇÃO: Se tiver uma ovelha de pelúcia ou de brinquedo, deixar que as crianças a toquem e manuseiem ao invés de fazer o trabalho acima. 



Apresentando a lição - escolher uma das opções abaixo:
(Opção A) - Maquete de aprisco:
Forrar uma caixa de sapatos grande por fora com papel marrom. Nas laterais da caixa, deixando a abertura para cima, desenhar as pedras ou a cerca (pode-se também colar palitos de sorvete, formando uma cerca.). Fazer um corte na lateral, formando uma porta. Forrar a mesa com tecido ou papel verde. Colocar sobre esse forro: o aprisco, algumas pedras, árvores de papel, as ovelhinhas e o leão abaixo. Usar um boneco pequeno, com roupas orientais e cajado, para ser o pastor.
Opção: usar um bichinho de brinquedo (cachorro, urso ou leão) para ser o predador.

Imagem extraída de https://blogdaebi.blogspot.com.br/2010/01/eram-cem-ovelhas-no-aprisco.html

Imagem extraída de https://blogdaebi.blogspot.com.br/2010/11/ovelhas-aprisco-tf-teen.html


Para as ovelhinhas e o leão:
1. Fazer várias cópias da ovelhinha e uma cópia do leão (abaixo). Pintar e recortar.
2. Colar um carretel, pedaço de tubo de papel higiênico ou um pedaço de tubo de papel alumínio ou apenas um bola de algodão entre a parte dianteira e traseira.



(Opção B) - Cenário de aprisco:
Juntar as cadeiras da sala em um canto formando o aprisco. Deixar um espaço entre duas cadeiras para servir de porta. Em outro canto, colocar um tecido ou papel azul, representando a água. Em outra parte, um tecido ou papel verde, representando a grama. Almofadas empilhadas podem servir de “pedras”. Colocar um galho seco em alguma parte da sala, onde a ovelha perdida se esconderá. Nesta opção, as ovelhas serão as crianças e o professor deve contar a história levando-as de um lugar para outro. O professor deve ter uma sacola de pano contendo um vidro de remédio e curativos. Um cabo de vassoura, com um cabo de guarda-chuva na ponta, pode fazer a vez de cajado. Se possível, ter uma funda.

Contando aos Outros:
1. Fazer cópia de um cenário e de uma ovelhinha (figuras abaixo) para cada criança.
2. Com um estilete, abrir os três lados de linhas sólidas de cada figura, formando uma pequena janela.
3. Dobrar a folha e colar a figura da ovelha perdida no local correspondente a uma das janelinhas. Assim, o pastor vai procurar a ovelha atrás das janelas e vai encontrá-la atrás de uma delas.





MEMORIZANDO
              [Mostrar a figura do garoto e dizer:] As ovelhas vivem em tranquilidade porque elas sabem que o pastor sempre providencia tudo para elas. Nosso verso de hoje fala de quem providencia tudo para nós. [Ler o verso na Bíblia, na mesma versão que será memorizada. Mostrar os visuais e dizer:] “O Senhor” quer dizer Jesus, que é forte e poderoso. Aquele que manda em todo o Universo. “É o meu” quer dizer que Jesus não é o pastor só das outras pessoas. Ele é o meu. Eu o conheço e Ele também me conhece. “Pastor” quer dizer que Jesus é a pessoa que cuida de nós e nos dá tudo que precisamos. “Nada me faltará” é a certeza, a confiança que temos de que Jesus nos dará tudo que precisamos e por isso não temos medo. [Colocar a figura da criança no flanelógrafo e ordenar os balões com os versos acima dela, como se ela estivesse falando as palavras do verso. Recitar com as crianças por três vezes. Depois, ir escondendo cada balão e repetindo o verso completo. Terminar com a referência. Se quiser, embaralhar as figuras e chamar algumas crianças para colocá-las em ordem no flanelógrafo.]

CONQUISTANDO A ATENÇÃO
[Mostrar a ovelha e dizer:] As ovelhas são animais muito fofinhos. Elas têm uma roupa bem quentinha, de lã, que Deus lhes deu. Vocês sabem como é o som que as ovelhas fazem? Isso mesmo. Béééé´! Esse som nós chamamos de balido. As ovelhas são bichinhos muito indefesos. Elas não conseguem correr muito rápido. E também não têm unhas ou garras afiadas para atacar seus inimigos. Elas também têm um grave problema de vista. Não enxergam nada que está longe. Por isso, é muito fácil de serem apanhadas por algum animal feroz ou caírem em algum buraco. Elas também não sabem procurar água ou comida sozinhas. Coitadas! Como são indefesas, não é mesmo? É por isso que elas precisam de um pastor. Elas ficam contentes quando o pastor está por perto porque elas sabem que nada vai lhes faltar.

APRESENTANDO A LIÇÃO
[Movimentar os personagens de acordo com o material escolhido (maquete ou cenário). Se optar contar a história usando o cenário, então, escolher uma criança, de preferência a menorzinha, para ser a ovelha perdida e esconder-se atrás do galho (ou atrás da mesa, armário, porta, etc.). Dizer:] 
Jesus certa vez contou uma história muito bonita sobre um pastorzinho e suas ovelhas. Ele disse que o pastorzinho tinha cem ovelhas. E ele as amava muito. Todos os dias ele tirava as ovelhas do aprisco. [Tirar as ovelhas do aprisco.] Contava a cada uma. [Contar as ovelhas.] Noventa e sete, noventa e oito, noventa e nove, cem. Depois disso, ele as levava para comer grama verdinha. [Levar as ovelhas para a “grama”. Dar tempo para que as ovelhas “comam” a grama.] Ele também as levava para beber água. [Levar as ovelhas para a água. Dar tempo para que as ovelhas “bebam” água.] Ele tomava cuidado para não levá-las onde a água fosse funda ou a correnteza muito forte porque elas não sabem nadar. Às vezes uma delas se arranhava nos espinhos, então o pastor fazia um curativo. [Colocar um curativo em alguma ovelha.] Às vezes uma ovelhinha pequena ficava muito cansada. Então o pastor a pegava no colo para ela descansar. [Pegar uma ovelha no colo.] De vez em quando aparecia um animal feroz querendo pegar as ovelhinhas. [Na opção A, usar o leão ou um animal de brinquedo (cachorro, leão ou urso). Na opção B, um adulto ou criança deve aparecer grunhindo como um animal feroz.] Elas ficavam com muito medo. Mas o pastor pegava sua vara ou sua funda e espantava o animal. [Espantar o “animal”.] As ovelhinhas sentiam-se seguras perto do pastor porque ele sempre as protegia. Elas sabiam que com ele nada lhes faltaria. O pastor conhecia todas as ovelhas. Sabia o nome de todas elas. E elas conheciam a sua voz e atendiam toda vez que ele chamava. [Chamar uma ovelha. Na opção A, colocar uma ovelha perto do pastor. Na opção B, chamar uma criança pelo nome e abraçá-la.] Geralmente elas eram obedientes.
Quando estava entardecendo o pastorzinho voltava com as ovelhas para o aprisco. [Levar as ovelhas de volta para o aprisco. Cuidar para que fique uma ovelhinha.] O pastor estava cansado e as ovelhas também. Todos queriam descansar. Quando chegavam ao aprisco o pastor contava outra vez todas as ovelhas. [Colocar todas as ovelhas no aprisco (opção A) ou deixar que as crianças entrem uma a uma no aprisco (opção B). Uma delas deve se esconder.  Não esquecer de contar uma por uma, terminando com noventa e nove.] Opa! O pastor ficou muito preocupado. Ele tinha cem ovelhas, mas só havia contado noventa e nove. Ele contou tudo outra vez. [Contar outra vez.] Oh! Não! [Colocar a mão na cabeça, sugerindo tristeza.] Ele havia perdido uma ovelhinha. A mais novinha e teimosa! Ele ficou muito triste. Neste momento ele poderia ter pensado: “Aquela ovelhinha está sempre desobedecendo. Não atende quando chamo. Vou deixar que sofra para aprender. Não vou perder minha noite de sono para ir procurá-la.” Mas ele não pensou assim, não.
Ele olhou para fora do aprisco e viu que a noite estava muito escura e fria. Ele pensou: “Pobrezinha da minha ovelhinha. Ela nunca conseguirá chegar aqui sozinha. O grande lobo pode encontrá-la. Ela pode estar machucada e, se chover, ela vai se molhar todinha. Tenho que buscá-la!” Então ele fechou a porta do aprisco. [Fechar o aprisco. Na opção B, usar um cabo de vassoura atravessado sobre as cadeiras.] Deixou as noventa e nove ovelhas que estavam seguras e foi em busca de sua ovelha perdida. A noite estava muito escura. Ele não conseguia ver as pedras e os espinhos, por isso, às vezes ele tropeçava [Opção A: fazer o boneco tropeçar. Opção B: tropeçar] e se machucava [fazer expressão de dor]. Estava muito frio. [Abraçar-se e tremer.] E os animais ferozes poderiam atacá-lo. Mas ele não pensou nestas coisas. Ele amava tanto aquela ovelha que não se importava com os perigos. Queria apenas encontrá-la. De repente, ele ouviu uma ovelhinha gritando bem baixinho. [Opção A: fazer o som da ovelha. Opção B: a criança deve fazer o som.] Bééééé! Bééééé! Ele foi caminhando em direção ao som. Caminhando... [Opção A:  levar o boneco até a ovelha. Opção B: caminhar até a “ovelha”.] Até que encontrou sua ovelhinha, que estava presa nos espinhos e não conseguia sair. Que alegria para o pastor!
Ele a tirou dos espinhos, abraçou sua ovelhinha e a colocou no colo. [Opção A: Colocar a ovelha nos braços do boneco. Opção B: Pegar a criança no colo e sentar-se.] Ele olhou bem para ela, viu onde tinha algum machucado e cuidou de cada ferimento. [Usar um vidro de remédio para fazer de conta que está passando remédio, colocar um curativo na ovelha.] Depois ele voltou para casa muito feliz com sua ovelha. [Na opção A, levar o pastor com a ovelha para o aprisco. Na opção B, voltar para o aprisco.] Quando ele chegou lá chamou todos os vizinhos e disse:”Alegrem-se comigo! Achei a minha ovelhinha!”.  [Na opção B, os adultos ajudantes devem ser os “vizinhos”.]

REVISANDO
[Fazer cópias das ovelhinhas. Numerá-las e recortá-las. Escondê-las pela sala. Pedir que cada criança procure uma ovelha. Quando encontrarem sua ovelha, devem sentar-se e esperar até que todas tenham suas ovelhas. Enquanto procuram devem cantar: “Meu bom pastor é Cristo”. Fazer a pergunta número 1 (AQUI) para a criança que achou a ovelha número 1 e assim por diante.]

APLICANDO: [Um adulto deve ajudar nesta atividade. Dizer:]
Eu serei o bom pastor. O outro adulto será o lobo. Vou fechar os olhos de dois de vocês por vez. Nós dois vamos chamar vocês. Vocês devem escutar bem para ver a diferença e vir para o lado do pastor e não do lobo. [Vendar os olhos de duas crianças por vez. Girá-las uma ou duas vezes. Quando for dada a ordem de “Já”, o lobo e o pastor devem chamar as ovelhas. Elas devem tentar encontrar o pastor. Quando o encontrar, tirar as vendas dos olhos e irem para um canto da sala que será o aprisco.  Vendar os olhos de mais duas crianças. Repetir a atividade até que todos tenham sua vez. Depois, as crianças devem sentar-se. Mostrar figura de Jesus (a mesma dos visuais para memorizar o verso). Dizer:] Jesus é o bom pastor. É Ele que cuida de nós todos os dias nos dando alimento, roupas e abrigo. Ele tem muito amor por nós.
Satanás é o lobo que quer nos destruir. Ele se esconde em suas armadilhas para nos pegar. Onde vocês acham que Satanás pode estar escondido? Que armadilhas ele prepara para afastar as crianças de Jesus? Satanás se esconde em muitos filmes, videogames, nas más companhias, nas músicas mundanas. Quando desobedecemos a Jesus e nos afastamos dEle fazendo coisas erradas é como se estivéssemos perdidos.
Jesus nos ama muito. Ele deixou o Céu e veio aqui para nos salvar. Como o bom pastor se feriu para salvar a ovelha perdida, assim Jesus foi ferido. [Mostrar gravura da cruz.]
 Ele procura cada criança e adulto para irem ao Céu. O inimigo quer nos impedir de ir lá. Precisamos escutar a voz de Jesus e não aceitar a voz do inimigo. Se estamos com Jesus somos felizes porque Ele cuida de nós e nada nos falta.

CONTANDO AOS OUTROS
[Dar uma cópia já preparada da atividade  para cada criança e deixar que elas, pintem o trabalho. Incentivá-las a repetirem a história enquanto ajudam o pastor a encontrar a ovelha perdida. Dizer:] Existem pessoas que estão perdidas como estas ovelhas. Longe de Jesus, desobedecendo a Sua vontade. Mostrem esta folha para alguém que esteja assim e conte-lhe a história da ovelha perdida. Talvez, por sua causa, ela escute a voz de Jesus e seja “encontrada”.





  

Que bom que você veio!

Volte Sempre!