terça-feira, maio 22, 2012

Lição 8 - Mais visuais

Mais uma vez me esqueci de guardar os créditos. Por favor, me avisem, se souberem, para que eu os coloque aqui.















A passagem pelo Mar Vermelho (visuais)

Essas postagens foram extraídas de diversos sites. Não consigo de lembrar o endereço. Se alguém souber, por favor, me avise para eu colocar os créditos.












Esses aqui eu acho que são do blog da EBI...





Tesouros Infantis - 2º Trim 2012 - lição 13


O Pão do Céu

OBJETIVO: Que a criança confie que Deus suprirá suas necessidades.

VERSO PARA MEMORIZAR: “O meu Deus, por meio de Cristo, lhes dará tudo o que vocês precisam.” Filipenses 4:19 
   
RECURSOS NECESSÁRIOS: Memorizando: Bíblia; Conquistando a Atenção: saquinhos ou vasilhas contendo coisas secas, planta murcha; Lição: roupas dos tempos bíblicos, cabo de vassoura, pipoca bem salgada, copinhos descartáveis com água salgada ou chá amargo, jarra com água fresca e pura, pau de canela ou palito de sorvete (limpo), TNT marrom, sucrilhos sabor mel (ou crisps de arroz, ou biscoitos sabor mel quebrados); Revisando: um pouco de sucrilhos sabor mel para cada criança; Aplicando:  Bíblia; Contando aos Outros: cópias dos cartões com o verso para memorizar (abaixo), macarrão ou grãos de cereais, cola, algum tipo de alimento (sugestões no final da postagem). 



CONQUISTANDO A ATENÇÃO: [Colocar coisas secas (areia, pedra, flocos de isopor,) dentro de vários saquinhos ou potes. Fazer uma fila com as crianças e deixar que coloquem as mãos dentro dos recipientes para tentarem adivinhar o que é. Depois, mostrar uma planta murcha e dizer que vai plantá-la dentro de um daqueles saquinhos para tentar revivê-la. Combinar para alguém dizer (se as crianças não disserem antes), que não adianta plantar nos saquinhos porque tudo ali é seco, não tem água para alimentar a planta. Então, dizer:] Isso me lembra que na história de hoje também estaria tudo seco.
                                                                                                                                                                                           APRESENTANDO A LIÇÃO: [Colocar um turbante na cabeça e uma capa, além de segurar um cabo de vassoura para ser a vara de Moisés. Se possível, colocar um turbante na cabeça das crianças também. Dar um pouquinho de pipoca bem salgada para as crianças comerem. Começar a história dizendo:] Quando você está com fome, sede ou cansaço, espera pacientemente pela mamãe para ajudá-lo? Ou fica impaciente e começa a reclamar e a fazer birra? Os israelitas tinham deixado o Egito há pouco tempo e estavam a caminho da Terra prometida. Vamos dar um passeio pelo pátio da igreja, fazendo de conta que somos os israelitas no deserto. [Fazer uma fila com as crianças e dizer que elas são os israelitas caminhando pelo deserto. Sair com elas da sala para dar uma volta pelo pátio (se o tempo estiver quente, melhor ainda). Se passarem perto do bebedouro, não permitir que bebam água. Não esquecer de levar o cabo de vassoura para ser a vara de Moisés. Dizer:] No começo da viagem eles estavam muito agradecidos a Deus por estarem livres da escravidão. Mas, logo, logo, eles se esqueceram de como Deus tinha aberto o Mar Vermelho e derrotado os egípcios. Os israelitas estavam cansados e com calor. Vamos imitar como eles estavam se sentindo. [Abanar as mãos, como quem está com calor.] Para piorar, a água que eles levavam acabou rapidinho. Eles caminharam por três dias no deserto e não acharam água e a que eles tinham trazido do Egito já tinha acabado.  [Enquanto vocês caminham, auxiliares devem arrumar copos descartáveis com um pouquinho de água salgada ou chá amargo para todas as crianças. Quando tudo estiver pronto, voltar para a sala e dizer:] Quando eles estavam com muita, muita, sede, alguém gritou: “Água!Água!” E todos foram alegremente para pegar a água.  [Deixar que  as crianças peguem os copinhos com água e a experimentem. Ter alguns ajudantes para recolher os copos das crianças e jogar a água amarga em um balde.] Á água que vocês experimentaram está ruim? Pois foi isso mesmo que aconteceu com os israelitas. Eles estavam com muita sede e a água que eles encontraram era horrível, amarga. [Fazer cara de nojo.] Eles ficaram muito revoltados e foram até Moisés para reclamar. Eles perguntavam, muito nervosos: “O que vamos beber?” Moisés, ao invés de reclamar de Deus, foi pedir a  ajuda dEle. Ele orou [ajoelhar-se e fingir que está orando] e Deus mostrou a ele um arbusto. Deus mandou que Moisés pegasse um pedaço da madeira do arbusto e a jogasse na água. [Colocar um pedaço limpo de canela em pau ou um palito de sorvete dentro da jarra de água.] Sabem o que aconteceu? O amargo da água desapareceu completamente e eles puderam matar a sede à vontade. [Servir a água da jarra para as crianças beberem.] Aquele lugar recebeu o nome de Mara, que significa “amargo”.
Saindo de Mara a coluna de nuvem guiou o povo até um lugar chamado Elim. Lá encontraram doze fontes de água e setenta palmeiras. Puderam pegar muita água e descansar um pouco. Foi muito bom. Mas logo a nuvem começou a mover-se e eles prosseguiram a viagem.
Depois de algum temo, quando foram ver suas bagagens, perceberam que a comida estava acabando. No deserto havia pouco pasto e o rebanho deles estava diminuindo. Como não havia mercado no deserto eles começaram a pensar que morreriam de fome. Afinal, era uma multidão muito grande de pessoas e animais. Como conseguiriam comida para tanta gente! Então, ficaram com tanto medo de morrer de fome no deserto que começaram a dizer que era melhor ser escravo no Egito do que morrer de fome. Vocês conseguem acreditar numa coisa dessas? Eles não se lembravam mais das pragas que Deus havia mandado, do milagre do Mar Vermelho e da água amarga que havia ficado gostosa. Eles só pensavam que iriam morrer de fome. Isso porque a comida ainda nem tinha acabado! Que povo difícil aquele, não é?
O que vocês acham que Deus deveria fazer com aqueles ingratos? [Dar tempo para as respostas.] Deus teve muita paciência com eles. Ao invés de castigá-los, Ele ofereceu um presente especial. Ele disse: “Farei chover pão do céu para vocês.” Vocês já viram pão do céu? Os israelitas viram. Vamos fazer de conta que é noite, somos israelitas e fomos dormir. Juntem suas mãos, inclinem suas cabeças sobre elas e fechem os olhos, como se estivessem dormindo. Só abram quando eu mandar. [Esticar  um pedaço grande de TNT marrom sobre o chão (certificar-se de que ele está bem limpo). Sobre ele, espalhar sucrilhos sabor mel, ou crisps de arroz, ou pedacinhos de biscoito quebrados. Dizer:] Agora o sol está saindo e nós vamos acordar, espreguiçando e vamos olhar para fora de nossa tenda. Sabem o que os israelitas viram, quando acordaram e olharam para fora? Viram uma coisa pequena e branca cobrindo todo o chão. Eles ficaram perguntando uns para os outros: “O que é isto?” Depois, pegaram aquela coisa e a experimentaram. Era delicioso! Tinha gosto de pão de mel. Na língua dos israelitas, “o que é isto?” se diz “maná”. E eles colocaram o nome daquilo de maná. Moisés lhes explicou que o maná era a comida que Deus estava providenciando para eles. No Egito os israelitas comiam carne. Deus queria que eles se acostumassem a viver sem carne para serem fortes e saudáveis e também para aprenderem a gostar das frutas deliciosas de Canaã. Se os israelitas fossem sadios, os outros povos iriam saber que isso era por causa da alimentação saudável deles. Nós aprendemos isso também e esse é um dos motivos de sermos vegetarianos. 
Para colher o maná, Deus deu algumas regras que os israelitas deveriam seguir. Todos os dias eles deveriam colher mais ou menos dois litros de maná para cada pessoa da casa. [Mostrar a vasilha com dois litros de sucrilhos e colher um pouco também.] Eles não poderiam colher mais que isso e guardar para o dia seguinte porque estragaria. Deus fez isso para eles não comerem demais e passarem mal. Mas algumas pessoas não obedeceram à ordem e guardaram o maná para o dia seguinte. Sabem o que aconteceu? O maná ficou cheio de bichos e ficou com um cheiro muito ruim. 
Outra regra, era que na sexta-feira eles deveriam colher maná para a sexta e para o sábado. No sexto dia da semana, Moisés disse: “Amanhã é repouso, o santo Sábado do Senhor: assem e cozinhem o que quiserem e guardem o restante para amanhã.” Para surpresa dos israelitas, o maná que sobrou da sexta para o Sábado não estragou. Como sempre, havia aqueles que eram teimosos e desobedientes. Esses não colheram o dobro de maná na sexta e saíram no Sábado para colhê-lo. Mas não adiantou nada porque no Sábado o maná não caiu. 
Deus fez tudo isso para ajudar os israelitas a se lembrarem de santificar o sábado. Durante quarenta anos Ele repetiu três milagres para o povo não esquecer do sábado. O primeiro milagre era haver o dobro de maná na sexta. O segundo, era que o maná que guardavam da sexta para o Sábado não estragar. O terceiro era que não caía maná no Sábado. 
Foi assim que o Senhor lhes ensinou a realizar seu trabalho na sexta-feira e santificar o Sábado. E isso serve para nós também. 

REVISANDO: [Fazer as perguntas sobre a lição (abaixo). Dar um pouquinho de “maná” (flocos de milho ou crisps de arroz) para quem acertar as respostas.]
Sugestões de perguntas:
Por quantos dias os israelitas procuraram água no deserto? Três dias.
Como era a água que eles encontraram? Amarga.
O que Moisés fez para tornar a água amarga em água boa para beber? Jogou um pedaço de madeira na água.
Por que os israelitas se queixaram de Deus novamente? Porque a comida estava acabando.
Do que eles se esqueceram? Dos milagre que Deus já tinha feito por eles.
Como era o maná e que sabor ele tinha? Era pequeno, branco e redondo, com sabor de mel.
Qual a quantidade de maná que os israelitas colhiam todos os dias? Quase dois litros.
O que acontecia com o maná quando era guardado de um dia para outro? Estragava.
Qual o único dia que eles deveriam colher maná para guardar e ele não estragava? Na sexta– feira.
Qual o único dia em que o maná não caía? O sábado.
Por que Deus fazia todos esses milagres com o maná no sábado? Para ensinar os israelitas a santificarem o sábado.

MEMORIZANDO: [Dizer:] Deus não deixou o povo morrer de sede e nem de fome. Ele deu água e deu comida para todos. Ele promete nos dar também tudo que precisamos. Isso está escrito na Bíblia. [Ler o verso na Bíblia.] Vamos memorizar esse verso e, se algum dia estivermos precisando de alguma coisa, vamos recitá-lo para ficarmos animados. [Ensinar o verso com os gestos sugerido na lição:] 

O meu Deus, por meio de Cristo - [mãos sobre o peito e apontar o céu.]
Lhes dará tudo o que vocês precisam -  [abrir e fechar as mãos três vezes e mostrar o público.] 
Filipenses 4:19 - [desabrochar uma flor e formar um livro.]

APLICANDO: [Dizer:] O maná era o pão dos anjos, que Deus fazia cair do Céu todos os dias para alimentar os israelitas, para que eles não morressem de fome. Deus enviou Jesus veio do Céu, como enviou o maná, para nos dar a vida eterna. [Mostrar a Bíblia.] Quem estuda Sua Palavra está se alimentando do Pão do Céu, porque é nela que conhecemos Jesus. Estudando a Bíblia ficamos fortes para vencer as tentações.
Mas, quem de vocês gostaria de comer maná de verdade? [Dar tempo para as respostas.] Esse maná que eu mostrei para vocês não é de verdade. É só pra gente ter uma ideia. Hoje o maná que os israelitas comiam não cai mais do céu. Mas a Bíblia tem uma linda promessa para quem aceita a Jesus como seu Salvador e obedece ao que está escrito em Sua Palavra: essa pessoa vai comer do verdadeiro maná, lá no Céu. Vejam [Ler Apocalipse 2:17.]: “Ao que vencer darei Eu a comer do maná escondido.” Eu quero muito comer desse maná. Quem quiser comer também, ajoelhe-se comigo para orarmos ao Senhor. [Orar agradecendo a Deus por ter enviado Jesus para nos dar a vida eterna e pedindo Sua  ajuda para que todos sejam vencedores das tentações para poderem comer do maná escondido.] 

CONTANDO AOS OUTROS:  [Entregar as cópias dos cartões para as crianças. Ajudá-las a colarem macarrãozinho ou sementes de cereais no prato. Fixar o cartão em algum tipo de alimento (ver sugestões abaixo) e entregar para as crianças. Incentivá-las a usar o cartão para contar a alguém sobre o que aprenderam na lição.] 

Sugestões de alimentos:
 Sucrilhos, biscoitos ou frutas: Colocar o alimento dentro de saquinhos de papel celofane. Amarrá-los com fitilho e grampear o cartão com o verso.
Salada de frutas ou curau: Colar o verso para memorizar em um colherzinha descartável e espetá-la no pote com a salada de frutas ou curau. Pode-se colocar isso dentro de um saquinho (a salada de frutas deve ter uma tampa) e amarrar com fitilho.
Bolo ou pãozinho: Colar o verso para memorizar em um palito de sorvete. Espetar o palito no bolo ou pãozinho (o bolo pode ser servido em pedaços mas ficará mais bonito se for assado em forminhas individuais de papel, como um cupcake). 

Tesouros Infantis - 2º Trim. 2012 - lição 12


Atravessando o Mar 


OBJETIVO: Que as crianças decidam estar entre os vencedores no Mar de Vidro.

VERSO PARA MEMORIZAR: “Pela fé, passaram o Mar Vermelho, como por terra seca; o que tentando os egípcios, se afogaram.”  Hebreus 11:29. 

RECURSOS NECESSÁRIOS: Lição: tinta vermelha, umbral de porta feito de papelão; mesa com pratos e talheres, pão asmo (ou biscoitos água e sal), glúten, ervas amargas (almeirão, por exemplo), malas e mochilas, roupas, objetos dourados e prateados, coluna de nuvem e coluna de fogo, cabo de vassoura, TNT azul para fazer o mar; Revisando: cenário do mar usado na lição; Aplicando: quadrado feito no chão com fita crepe; Contando aos Outros: cópias da atividade abaixo para cada criança, lápis de cor, cola, lantejoulas douradas ou bolinhas de papel crepon amarelo.


Clique aqui para outras ideias de visuais.

COMO PREPARAR OS RECURSOS NECESSÁRIOS
  
Memorizando: Escrever o verso para memorizar em um cartaz e colocá-lo acima da escada usada para contar a história, no momento de memorizar o verso. 

Lição: 
Umbral da porta: Em papelão, cortar um umbral de porta (não precisa ser muito grande). Pintar de marrom e desenhar os veios da madeira em cor preta ou marrom mais escura. 
Mar: De acordo com o espaço disponível, cortar ao meio (no sentido do comprimento) um pedaço grande de TNT azul. Colocar os dois pedaços lado a lado, no chão, sem deixar espaço entre os dois. Separar os dois pedaços para fazer o “mar” abrir e aparecer o caminho seco. Juntar os dois pedaços outra vez para fazer o “mar” fechar outra vez. 

Coluna de nuvem e de fogo: Desenhar e recortar uma coluna de nuvem e uma coluna de fogo em cartolina ou EVA. Colar sobre papelão, para dar mais firmeza. Como suporte para segurar as “colunas”, colar uma ripa de madeira.
Infelizmente não consegui encontrar novamente o site onde eu consegui as imagens desta postagem imagem. Se alguém souber me avise, para eu colocar os créditos.




Aplicando: Usar fita crepe para desenhar um quadrado perfeito no piso da sala, em tamanho suficiente para que caibam todas as crianças.

Contando aos outros: Fazer as cópias da figura em cartolina (ou fazer em sulfite e depois colar em cartolina). Depois, na parte de trás da figura, na parte mais larga do mar, desenhar um quadrado. Se as crianças forem muito pequenas ou o tempo for curto, recortar as figuras com antecedência. 


CONQUISTANDO A ATENÇÃO: Maneiras de atravessar o mar. [Fazer gestos imitando meios de transporte (trem, carro, avião, barco a remo, bicicleta) e pedir às crianças que adivinhem quais são. Depois, pedir que façam gestos imitando os meios de transporte que podem ser usados para atravessar o mar. Dizer:] Na história de hoje veremos o meio mais incrível de atravessar o mar.

APRESENTANDO A LIÇÃO: [Relembrar rapidamente o que aconteceu na história anterior e, depois, dizer:] A mamãe e o papai sempre avisam qual será o castigo que vocês terão se desobedecerem, não é? Deus estava para castigar Faraó e o egípcios pela sua desobediência. Mas Ele não queria fazer isso sem dar mais uma chance para eles. Moisés foi a Faraó e disse [fazer um tão de voz solone]: “Deixem o meu povo ir. Se não, à meia-noite de hoje, cada filha ou filho primogênito do Egito será morto.” Mas faraó outra vez disse: “Não!” Que teimoso esse Faraó! Como Deus foi paciente com ele! Foram NOVE [Opcional - mostrar o número 9.] chances de se arrepender e ele não aproveitou. E agora, receberia a pior de todas as pragas.  [Opcional - mostrar o número 10.]
Só havia uma forma de escapar dessa praga: mostrando confiança em Deus. Ele mandou que matassem um cordeirinho de um ano, sem defeito, e passasse o seu sangue nos umbrais das portas.   [Passar um pouco de tinta no umbral da porta.] O anjo destruidor  viria à meia-noite, mas não entraria nas casas que estivessem marcadas com aquele sangue. Mas, como aquele sangue podia salvar a vida deles? É que o sangue representava Jesus que, muitos anos depois, viria para morrer no lugar dos pecadores. [Mostrar a figura de Jesus na cruz.] Passando o sangue nas ombreiras das portas, cada mãe, pai, menino e menina mostraram que tinham fé em Jesus. Eles acreditaram que Jesus viria um dia e morreria por eles numa cruz. 
À noite, cada família israelita se juntou para o jantar. No jantar eles tinham pães sem fermento, ervas amargas e a carne do cordeiro. [Mostrar a mesa com os pães sem fermento, as ervas amargas e o glúten.] Todos sabiam que à meia-noite o anjo destruidor viria e só escapariam os primogênitos que estivessem dentro das casas com sangue do cordeiro na porta. Estavam todos preocupados, conferindo se os primogênitos estavam realmente dentro das casas marcadas com sangue. 
À meia-noite, começaram a ouvir os gritos de desespero dos egípcios. [Imitar o choro dos egípcios.] O anjo destruidor tinha ido em cada casa dos egípcios e todos os filhos mais velhos foram mortos. Até o filho de Faraó. O pavor foi tão grande que, dessa vez ele se humilhou e deixou o povo de Deus ir. Na verdade os egípcios ficaram tão apavorados que foram aos israelitas e pediram para que saíssem do Egito o mais depressa possível. Os israelitas juntaram suas coisas apressadamente  e se prepararam para partir. [Mostrar as malas e colocar algumas coisas dentro delas. Se for possível, convidar algumas crianças para ajudar.] Só que antes de sair, pediram jóias e roupas novas para os egípcios como pagamento pelos anos que eles trabalharam sem receber nada. E eles receberam muita coisa. [Colocar alguns objetos preciosos dentro das malas.]
[Juntar as crianças e fingir que estão caminhando.] Uma multidão de 600.000 homens, além de mulheres e crianças e alguns egípcios se juntaram e começaram a caminhada. Eles estavam radiantes de felicidade! Mas não dava pra andar muito depressa porque era muita gente e também havia uma grande quantidade de animais. Como o caminho passava pelo deserto, Deus enviou uma coluna de nuvem durante o dia, para fazer sombra e, à noite, uma coluna de fogo, para aquecê-los. [Erguer a coluna de nuvem na frente das crianças.] Os israelitas se acamparam perto do Mar Vermelho. De repente, olharam para trás e viram o exército de Faraó que viera para perseguí-los. [Olhar para trás. Os ajudantes devem fingir que são os egípcios aproximando-se.]  E não havia como fugir: dos lados havia montanhas, na frente, o mar e atrás, o exército de Faraó! Os israelitas ficaram apavorados e foram reclamar com Moisés. Ele não estava com medo e disse [dizer com voz solene]: “Não tenham medo. Fiquem quietos e vejam o livramento do Senhor.”
Mas, como Deus poderia salvar os israelitas? Bem, primeiro a coluna de nuvem baixou e ficou entre os egípcios e os israelitas. [Colocar a coluna de nuvem entre os “egípcios” e os “israelitas”]. Para os egípcios ela se tornou um muro de trevas, mas para os israelitas havia muita luz. Com isso o povo ficou mais animado. Deus disse a Moisés que mandasse o povo marchar. [Conduzir as crianças para perto do mar.] Todos olharam para Moisés. Ele estendeu a sua vara [estender o cabo de vassoura], um vento forte começou a soprar e uma coisa incrível aconteceu: o mar começou a se abrir e formou um caminho no meio dele! [Abrir o caminho do “mar”] Moisés ordenou ao povo que marchasse e o povo obedeceu. Todo mundo  atravessou o mar. [Passar com as crianças pelo mar.] Quando estavam do outro lado, viram que o exército de Faraó estava entrando no caminho que eles fizeram. [Os egípcios devem começar a passar pelo mar.] Será que os egípcios conseguiriam alcançá-los? Moisés, então, estendeu novamente a sua vara [estender o cabo de vassoura] e, pelo poder de Deus, as águas do mar se juntaram novamente [juntar as partes do mar e cobrir os egípcios] e engoliram todo o exército de Faraó, com os cavalos e carruagens. Os hebreus ficaram muito alegres! Estavam finalmente livres! [Bater palmas e dar pulinhos] Graças a Deus estavam salvos! 

REVISANDO: [Colocar as duas partes do TNT no lugar outra vez e fazer as perguntas (abaixo) ao lado delas. Cada vez que as crianças acertarem a resposta, abrir um pouquinho do “mar” . Cada vez que elas errarem, fechar o mar. Fazer perguntas até que o “mar” esteja completamente aberto. Convidar as crianças para atravessá-lo.] 
Sugestões de perguntas:
Qual seria a última praga?  A morte dos primogênitos.
Os egípcios foram avisados ou não da última praga? Sim, eles foram.
O que era preciso fazer para se proteger da praga? Passar o sangue de um cordeiro nos umbrais das portas.
O que o cordeiro significava? Jesus, que viria morrer pelos nossos pecados.
O que os israelitas comeram em seu último jantar no Egito? Pão sem fermento, ervas amargas e a carne do cordeiro.
O que aconteceu à meia-noite? O anjo da morte passou pelas casas que não tinham a marca do sangue do cordeiro.
O que Faraó e seus conselheiros fizeram depois da morte dos primogênitos? Mandaram os israelitas saírem do Egito, rapidamente.
Como os israelitas foram pagos por seu trabalho no Egito? Recebendo ouro, jóias e roupas dos egípcios.
Quem saiu do Egito junto com os israelitas? Alguns egípcios.
O que aconteceu  enquanto os israelitas estavam acampados perto do Mar Vermelho? O exército egípcio veio em perseguição.
Como os israelitas atravessaram o Mar Vermelho? Deus mandou um vento que abriu um caminho no meio do mar.
O que aconteceu com os egípcios? Entraram no caminho do mar e o mar se fechou sobre eles, matando-os.
O que Moisés fez depois que foram salvos dos egípcios? Cantou um hino de gratidão a Deus. 

APLICANDO: [Com antecedência, desenhar um quadrado perfeito no piso da sala (que caibam todas as crianças). Explicar:] Depois que os israelitas escaparam da perseguição, Moisés começou a cantar uma música linda, agradecendo a Deus. Outros começaram a cantar com ele e logo todos estavam cantando. De longe dava para ouvir aquela música tão linda! 
Antes de Jesus voltar os que forem fiéis a Ele serão perseguidos também, como os israelitas foram perseguidos pelos egípcios. Os servos de Deus que estarão vivos na volta de Jesus serão 144.000. Serão pessoas que  aceitaram a Jesus como seu Salvador e tiveram fé (assim como os israelitas) de que o sangue de Jesus purifica de todo o pecado. Eles também serão pessoas obedientes a Deus em todas as coisas. Satanás usará homens maus para tentar destruí-los, mas quando parecer que eles vão conseguir destruir os 144.000, Jesus vai aparecer no Céu com todos os seus anjos, destruirá os ímpios e livrará o Seu povo. Depois Ele vai levá-los para o Céu e lá eles estarão em um mar de vidro, onde formarão um quadrado perfeito e cantarão um belo hino de louvor a Deus. O nosso hinário trás um hino que fala desta ocasião. Vamos aprendê-lo? [Ensinar uma estrofe do hino Os cento e Quarenta e Quatro Mil para as crianças. Depois, mostrar o quadrado no chão e dizer:] Tenho aqui um quadrado no chão. Ele me lembra que os 144.000 formarão um quadrado perfeito e eu fico imaginando a multidão toda reunida, formando um quadrado perfeito e cantando um hino muito, muito lindo. Será uma ocasião maravilhosa! Eu quero estar lá, custe o que custar!  [Posicionar-se dentro do quadrado.] Quem estiver disposto a enfrentar a perseguição e estar comigo lá no mar de vidro, venha aqui dentro deste quadrado. [Dar tempo para que as crianças venham. Depois, cantar mais uma vez a estrofe do hino com as crianças e orar com elas, pedindo que Deus ajude que todos estejam no mar de vidro, salvos para sempre.]

MEMORIZANDO: [Ler o verso escolhido na Bíblia. Explicar:] Os israelitas acreditaram na ordem de Deus e obedeceram, passando o sangue do cordeiro nos umbrais das portas, e, por isso, conseguiram escapar dos egípcios. Nós também precisamos acreditar nas ordens de Deus e obedecê-las. Só assim seremos salvos.  [Ensinar o verso com os gestos sugeridos na lição:] 
Pela fé, passaram o Mar Vermelho, como por terra seca -   [juntar as mãos, apontar um caminho.]
O que tentando os egípcios, se afogaram -  [fechar e balançar os punhos, fechar o nariz com os dedos.]
Hebreus 11:29 - [desabrochar uma flor e formar um livro.]

CONTANDO AOS OUTROS: [Distribuir as cópias das atividades e ajudar as crianças a pintarem o desenho. Depois de colorido, pedir que colem as lantejoulas douradas ou bolinhas de papel crepon amarelo dentro do quadrado que já foi desenhado com antecedência no verso da figura. Lembrá-las que Moisés cantou um cântico de vitória depois dos israelitas serem salvos dos egípcios e que os cento e quarenta e quatro mil cantarão um cântico de vitória também sobre o mar de vidro, lá no Céu, formando um quadrado perfeito. Incentivá-las a contar a outros a história aprendida.]


Tesouros Infantis - 3º Trim. 2012 - Lição 11


As Dez Pragas


OBJETIVO: Perceber a necessidade de obedecer para não ficar com o coração duro.

VERSO PARA MEMORIZAR: “O Senhor conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá. ” Salmo 1:6 

RECURSOS NECESSÁRIOS: Conquistando a Atenção: boneco João Teimoso; Lição: trono (cadeira coberta com tecido bonito), jarra, garrafa com água, anilina ou pó corante vermelho, rãs de brinquedo ou de papel, fita crepe ou etiquetas adesivas, balde com bolas de papel, gafanhoto, galho de planta pequeno e sem as folhas, lanterna, números grandes de 1 a 10 em cartolina (opcional); Aplicando: um pouco de terra fofa, um tijolo ou lajota de cerâmica; Contando aos Outros: Opção 1 - Cópias da atividade abaixo para cada criança, lápis de cor; Opção 2 - sapinho ou gafanhoto de brinquedo com verso para memorizar.

COMO PREPARAR OS RECURSOS NECESSÁRIOS
Lição: 
Rãs e gafanhotos: Se não conseguir rãs e gafanhotos de brinquedo, fazer uma das sugestões abaixo. 



Contando aos outros (opção 1): Fazer cópias da atividade abaixo para cada criança.
(A atividade abaixo foi composta a partir de outras imagens encontradas nos sites: http://keylahiromi.blogspot.com.br  e http://escolabiblicadominicalndv.blogspot.com.br/)


Contando aos outros (opção 2): Fazer uma lembrancinha em forma de sapo ou gafanhoto. Cortar uma tira de papel e dobrá-la como sanfona para as crianças escreverem o verso para memorizar nela. Abaixo, duas sugestões de lembrancinha:

Sapo de prato de papel:
-imprimir as pernas do sapinho em papel criativo verde
- imprimir os olhos. 
- dobrar um pratinho de papel ao meio e pintar de verde por fora e de preto por dentro.
- colar as perninhas e os olhos.
- fazer a língua de papel criativo vermelho. 





Sapo com língua de sogra:
Cortar as peças em EVA ou papel cartão verde.
Colar os olhinhos.
Usar a língua de sogra para marcar o local da boca do sapo e fazer um furo ali.
Introduzir o bocal da língua de sogra no furo.






CONQUISTANDO A ATENÇÃO: [Mostrar o boneco João Teimoso para a classe e deixar que as crianças descubram porque ele é chamado assim. Se não conseguir um brinquedo desse tipo, fazer a seguinte brincadeira: colocar uma criança entre dois adultos que estão de frente um para o outro. Ela deve ficar com o corpo bem rígido e cair em direção a um dos adultos, que deve segurá-lo e depois empurrá-la para a frente. Ela deve cair de novo (sem dobrar o corpo), desta vez em direção ao outro adulto, que deve segurá-la também. Os dois adultos devem colocar a criança em pé, ela sempre deve cair. Se não der certo com uma criança, tentar com outra, ou fazer isso com várias crianças. Durante toda a brincadeira, dizer que a criança está sendo teimosa e não quer ficar em pé. No final, dizer:] Na história de hoje teremos alguém muito, muito teimoso mesmo.
                                                                                                                                                                                           
APRESENTANDO A LIÇÃO: [Com antecedência, colocar anilina ou pó corante vermelho no fundo de uma jarra transparente. Deixá-la sobre a mesa, com uma garrafa de água por perto. Se tiver os números de 1 a 10, mostrar um deles a cada praga. Colocar um tecido bonito sobre uma cadeira para ser o trono. Convidar uma criança ou um adulto auxiliar para ser o faraó. Combinar para ele sempre dizer “não” aos seus pedidos.  Recapitular rapidamente os últimos fatos da lição anterior e dizer:] Como Faraó foi teimoso e não quis deixar o povo ir, Deus teve que cumprir Sua palavra de que o Egito seria castigado. Os egípcios pensavam que o rio Nilo era um Deus e, por isso, todas as manhãs Faraó ia fazer um culto à beira do rio, pedindo que ele abençoasse o Egito. Pensem em como alguém pode fazer uma oração para um rio! O Senhor queria que os egípcios descobrissem Quem é o verdadeiro Deus. Então, uma manhã, quando Faraó estava à beira do rio, fazendo seu culto,  Moisés e Arão se aproximaram e disseram ao rei o que Deus ordenou: “Deixe Meu povo ir... Se não deixar, Eu vou ferir as águas do rio e elas vão se tornar em sangue.” Sabem o que Faraó respondeu? [O “faraó” sentado no trono deve dizer bem forte, com o rosto mostrando autoridade.] “Não!”
Então, Arão estendeu a sua vara [erguer o cabo de vassoura] e todos os rios e lagos do Egito se tornaram em sangue. Até mesmo a água das jarras se tornou em sangue. [Diante das crianças, colocar água dentro da jarra com anilina no fundo.] Que nojo! A água só ficou limpa na terra de Gósen, onde os israelitas moravam porque nenhuma praga que caiu sobre o Egito atingiu os israelitas. Sabem o que aconteceu com os peixes dos rios? Morreram todos, e Egito ficou com um mau cheiro horrível! Essa praga durou sete dias. O egípcios entenderam que o Deus dos israelitas era muito poderoso e que o rio Nilo não era deus coisa nenhuma. Mas, mesmo assim, sabem qual foi a resposta de Faraó? [“Faraó” deve dizer bem alto:] “Não!” E o coração dele endureceu mais um pouco. [Pedir que as crianças repitam com você:] E o coração dele endureceu mais um pouco. 
Os egípcios também adoravam as rãs. E eles nunca matavam uma rã. Para mostrar que não adiantava confiar nas rãs, Deus enviou uma praga de rãs. [Mostrar as rãs e jogar algumas perto das crianças.] Apareceram milhares de rãs e elas entraram por toda parte. Os egípcios iam se deitar e a cama estava cheia de rãs; iam comer e a mesa estava cheia de rãs; iam andar e as rãs ficavam saltando sobre eles. O palácio do rei ficou cheio de rãs até que ele não suportou mais isso. Ele prometeu a Moisés que se Deus os livrasse das rãs, ele deixaria o povo ir. No dia seguinte, Deus fez todas as rãs morrerem e os egípcios tiveram muito trabalho para livrar-se delas. O Egito ficou com mau cheiro outra vez e todos perceberam que as rãs não podiam ser adoradas. Mas, assim, que as rãs se foram, Faraó desistiu de deixar os israelitas saírem. [Pedir que as crianças repitam com você:] E o seu coração ficou mais duro um pouco.
Então, Deus mandou que Arão estendesse a sua vara e tocasse o pó da terra. O pó se transformou em piolhos que mordiam as pessoas e os animais. Na religião dos egípcios, os sacerdotes não poderiam se aproximar de seus deuses se estivessem com piolhos e tudo ficou complicado para eles porque todos os egípcios se tornaram piolhentos, se coçando sem parar. [Coçar a cabeça e pedir que as crianças imitem os egípcios também.] Outra vez Moisés foi falar com Faraó e de novo ele disse [“Faraó” deve dizer bem alto]: “Não!” [Pedir que as crianças repitam com você:] E o seu coração endureceu mais um pouco.
Dessa vez Deus enviou enxames de moscas, dessas que picam a gente. Foi uma calamidade. [Abanar as mãos, como quem espanta moscas, fazendo expressão de nojo. Pedir que as crianças façam o mesmo.] Todo mundo se abanando e tentando fugir das moscas, que se enroscavam nos cabelos e picavam sem parar. Faraó ficou desesperado e prometeu deixar os israelitas partirem se Deus retirasse as moscas. Mas logo que elas foram embora, Faraó voltou atrás e não deixou o povo ir. [Pedir que as crianças repitam com você:]  E o seu coração endureceu mais um pouco. 
Por causa disso vieram mais problemas para os egípcios. Seus animais adoeceram e morreram. Mas Faraó de novo disse [“Faraó” deve dizer bem alto]: “Não!” [Pedir que as crianças repitam com você:] E o seu coração endureceu mais um pouco.
A próxima praga foi de feridas terríveis nas pessoas e nos animais. [Colar os adesivos nas peles de Faraó e algumas crianças, enquanto diz:] Por toda parte as pessoas estavam dizendo: “Ai!Ui!” Até Faraó e seus magos ficaram cobertos de feridas!  Depois, Deus retirou as feridas. Mas, Faraó, de novo, disse [“Faraó” deve dizer bem alto]: “Não!” [Pedir que as crianças repitam com você:] E o seu coração endureceu mais um pouco.
A seguir Deus avisou os egípcios que enviaria uma grande tempestade e que eles não deveriam sair de casa. Muitos acreditaram e não saíram de casa. Outros saíram e tiraram seus animais dos estábulos e se deram muito mal porque quando a tempestade caiu eles não tiveram tempo de se protegerem dela. Foi uma tempestade terrível! Vocês nunca viram uma tempestade tão apavorante como aquela! Havia pedras de gelo, trovão, relâmpago e fogo! [Jogar algumas bolas de papel sobre as crianças ou sobre o cenário.] Quando a tempestade passou, vocês acham que Faraó deixou o povo ir? Faraó de novo disse [“Faraó” deve dizer bem alto]: “Não!” [Pedir que as crianças repitam com você:] E o seu coração endureceu mais um pouco.
Mais uma vez Deus teve que enviar uma praga sobre o Egito. Dessa vez foram os gafanhotos. [Mostrar o gafanhoto.] O gafanhoto é um bichinho que come as folhas das plantas. Milhões de gafanhotos se juntaram, voando pelo céu, e formaram uma nuvem escura. Depois eles pousaram onde havia plantas e comeram, comeram sem parar, até que não sobrou mais nenhuma folha. [Mostrar um galhinho de planta sem folha nenhuma.] Todas as plantas que escaparam da tempestade foram arrasadas pelos gafanhotos. Os egípcios ficaram tremendo diante de Deus. Até os guardas estavam com medo e não espancavam mais os israelitas. Faraó pediu que Moisés orasse para os gafanhotos irem embora. Mas, depois que os gafanhotos se foram, Faraó  de novo disse [“Faraó” deve dizer bem alto]: “Não!” [Pedir que as crianças repitam com você:] E o seu coração endureceu mais um pouco.
Deus queria que os egípcios entendessem que seus ídolos não valiam nada e também que se arrependessem de suas maldades. Por isso, a próxima praga foi uma grande escuridão, e ningu[em pode enxergar nada durante três dias. [Ligar a lanterna e fingir que não está enxergando nada.] Ninguém podia sair de casa e nem trabalhar. Era uma escuridão tão esquisita que era difícil até para respirar. [Mostrar-se ofegante.] Mas, quando a praga cessou, Faraó de novo disse [“Faraó” deve dizer bem alto]: “Não!” [Pedir que as crianças repitam com você:] E o seu coração endureceu mais um pouco.
Enquanto tudo isso acontecia com os egípcios, os israelitas não sofriam nada. Eles estavam felizes, esperando o momento de serem libertados. Semana que vem veremos o que aconteceu com eles e com os egípcios. 
  
MEMORIZANDO:  [Ler o verso na Bíblia e explicar seu significado. Depois ensiná-lo com os gestos propostos na lição:] 
O Senhor conhece o caminho dos justos - [apontar para o céu,  juntar as mãos na posição de orar.] 
Mas o caminho dos ímpios perecerá -  [usar dois dedos para caminhar sobre a sua mão, descruzar os braços.]  
Salmo 1:6 -  [desabrochar uma flor e formar um livro.]

REVISANDO: [Dizer:] Quero ver se vocês são atentos ou não. Eu vou dar duas ordens de cada vez. Vocês devem obedecer apenas as que estiverem corretas. [Quando terminar de falar cada dupla de ordens, dar tempo para as crianças manifestarem suas respostas.]
Se na primeira praga as águas foram transformadas em suco de laranja, batam os pés; se foi transformada em sangue, ergam os braços. 
Se na segunda praga apareceram rãs por toda parte coloquem as mãos na cabeça; se apareceram lagartixas, subam nas cadeiras. 
Se na terceira praga, apareceram muitas formigas, levante os pés na cadeira; se houve muitos piolhos, batam palmas duas vezes. 
Se a quarta praga foi de borboletas, abanem os braços; se foi de moscas, façam zuuuuuuummmm. 
Se na quinta praga as pessoas ficaram resfriadas, dê um salto; se os animais ficaram doentes e morreram, baixem a cabeça. 
Se na sexta praga houve feridas nos egípcios, digam “ai!”; se houve feridas nos israelitas, digam “ui!”. 
Se na sétima praga houve uma chuva de dinheiro, coloquem as mãos na cintura; se houve uma chuva de pedras, se abaixem. 
Se na oitava praga as vacas comeram todas as plantações, façam “muuuuuu”; se os gafanhotos comeram todas as plantações, esfreguem as mãos. 
Se na nona praga o sol ficou mais quente, fechem os olhos; se houve três dias de trevas, cruzem os braços. 
Se faraó foi obediente desde o começo, digam “sim”; se foi teimoso e desobediente, digam “não”.

APLICANDO: [Mostrar um vaso com terra fofa e um tijolo ou cerâmica. Deixar que as crianças toquem o tijolo e sintam sua dureza. Explicar:] Cada vez que obedecemos a Deus fica mais fácil obedecer da próxima vez e nosso coração vai ficando como uma terra fofa, onde podem nascer coisas boas. Mas, cada vez que desobedecemos fica mais difícil obedecer da próxima vez. A teimosia em desobedecer vai deixando nosso coração duro, duro até que não dá mais pra Deus plantar nada. Foi isso que aconteceu com Faraó. O coração dele ficou duro como esse tijolo, mas não ficou assim de uma vez. De tanto desobedecer, seu coração foi endurecendo, endurecendo até não teve mais jeito. Vocês querem ter um coração duro ou mole? Então, da próxima vez que forem tentados a desobedecer lembrem-se do Faraó e não sejam teimosos! 
 
CONTANDO AOS OUTROS: 
Opção 1:  [Entregar as cópias das figuras para as crianças pintarem e recortarem. Ensiná-las a brincarem com o jogo da memória.] 
Opção 2: [Ajudar as crianças a montarem seus sapinhos. Ensiná-las a dobrarem a tira de papel  como uma sanfona. Pedir que escrevam (ou ajudá-las a escrever) um pedaço do verso em cada parte da sanfona. Ajudar as crianças a colarem as sanfonas nos sapinhos.]



Tesouros Infantis - 2º trim 2012 - Lição 10


Atendendo ao Chamado


OBJETIVO: Atender ao chamado de Jesus para trabalhar por Ele.

VERSO PARA MEMORIZAR: “Agora vá, pois eu o ajudarei a falar e lhe direi o que deve dizer. ” Êxodo 4:12. NTLH.

RECURSOS NECESSÁRIOS: Conquistando a Atenção: ver objetos sugeridos na atividade; Lição: casaco ou roupão, luva “leprosa”; cabo de vassoura; cobra de brinquedo; maquete do palácio, bonecos; Revisando: tijolos de caixas de leite; Contando aos Outros: cópias da atividade abaixo para cada criança, lápis de cor.



COMO PREPARAR OS RECURSOS NECESSÁRIOS
Lição: 
Cenário: Fazer algumas pedras grandes, encapando bolas de jornal com papel pedra ou pardo. Juntar com alguns vasos de plantas. Colocar tudo isso entre as crianças e o local onde será contada a história. Esconder ali, a vara de Moisés e a cobra, de maneira que as crianças não vejam essas coisas.
Luva “leprosa”: Virar uma luva de borracha para o lado avesso. Desenhar manchas vermelhas e marrons nela, usando caneta permanente ou cola colorida.

Cobra: Se não conseguir uma cobra de brinquedo, pode-se fazê-la de diversas maneiras: emendando rolhas, rolos de papel higiênico, prendedores de roupa. Pode-se também usar um peso de porta no formato de cobra. Amarrar um fio de nylon na ponta da cobra e esticá-lo de maneira que alguém possa puxá-la para simular o movimento dela. 



Revisando: Usando papel pardo, encapar caixas de leite longa vida (ou outras semelhantes) para fazer uns oito ou dez tijolos. 


CONQUISTANDO A ATENÇÃO: [Dar alguma tarefa para as crianças realizarem dentro de um tempo definido (fazer 30 bolinhas de massa de modelar em 1 minuto; fazer uma pilha bem alta de blocos em 15 segundos, etc). Deve ser uma tarefa possível de ser realizada, mas que não se possa ser realizada em um tempo menor que o tempo pedido. Depois de concluída a tarefa. Peça-lhes para realizá-la de novo, no mesmo período de tempo, mas tendo que buscar o material em outra sala da igreja. Encerrar a atividade assim que  o tempo estipulado for alcançado. Quando as crianças reclamarem que a segunda tarefa foi mais difícil por terem de buscar o material, dizer que  na história de hoje haverá uma situação muito semelhante.]
                                                                                                                                                                       
APRESENTANDO A LIÇÃO: [Para a primeira parte da história, vestir um casaco e esconder a luva “leprosa” dentro dele ou de um bolso. Dizer:]
Existem crianças que têm muita vergonha de cantar ou de agradecer na igreja. Quando o papai e mamãe dizem para irem fazer isso, essas crianças ficam dando muitas desculpas para não ir. Quando o Senhor pediu a Moisés que fosse ao Egito libertar os israelitas, ele não quis fazer isso e começou a dar desculpas. A primeira desculpa foi: “O povo não vai me ouvir.” Em resposta a essa desculpa, Deus mandou que Moisés jogasse a sua vara no chão. [Colocar o cabo de vassoura no chão, perto das plantas do cenário, de maneira que as crianças não possam vê-lo.] Moisés obedeceu e sabem o que aconteceu? A vara transformou-se em serpente. [Alguém deve puxar a cobra com um fio, de jeito que as crianças a vejam.] Moisés ficou com medo e fugiu dela [fazer expressão de medo e fugir de perto da “cobra”], mas Deus disse para ele voltar e pegar a serpente pela cauda. [A “cobra” deve ser levada de volta para o ponto do cenário em que as crianças não conseguem enxergá-la] Imaginem! Que medo! Se a gente pegar uma cobra pelo rabo, ela com certeza vai nos picar! Moisés obedeceu [pegar novamente o cabo de vassoura], e a serpente voltou a ser uma vara! Que incrível, não é? Depois, o Senhor mandou Moisés colocar a mão no peito. [Esconder a mão dentro do casaco e, se necessário, virar-se costas para as crianças, para colocar a luva na mão.] Ele obedeceu. Quando tirou a mão, ela estava leprosa! [Tirar a mão com a luva “leprosa”.] A lepra é uma doença que deixa a pele cheia de manchas brancas e feridas vermelhas. Moisés ficou horrorizado com a mão dele. Então, Deus mandou que ele colocasse a mão no peito de novo e ...[Colocar a mão no casaco de novo e tirar a luva, de maneira que as crianças não vejam...] Ela ficou sadia, exatamente como antes! [Mostrar a mão “sadia”.]
Se o povo ainda assim não acreditasse em Moisés, então Deus faria outro sinal. Moisés deveria pegar um pouco da água do rio, derramá-la no terra e a água se tornaria em sangue. Com todos esse milagres, será que Moisés já tinha criado coragem para ir ao Egito ajudar os israelitas? Não. Infelizmente, não. Ele ainda apresentava desculpas:”Ah, Senhor, eu não sei falar direito!” Mais uma vez Deus animou Moisés: “Quem fez tua boca? Eu serei com a tua boa e te ensinarei o que há de falar.” Mas, mesmo assim, Moisés não queria ir. Então, Deus não aceitou mais nenhuma desculpa e ordenou que Moisés fosse ao Egito e, para que Ele não reclamar, Deus lhe disse que seu irmão Arão iria ajudá-lo a falar com o povo e com Faraó. Assim, finalmente, Moisés parou de dar desculpas, venceu seu medo e aceitou sua missão. Moisés obedeceu e, com a ajuda de Deus, venceu sua timidez.
Moisés foi ao Egito e, no caminho, encontrou-se com Arão. [Colocar o boneco de Moisés e o de Arão juntos.] Foi emocionante para eles se encontrarem depois de tantos anos. Eles conversaram bastante e foram juntos falar com os anciãos de Israel. [Colocar Arão e Moisés diante dos anciãos.] Eles falaram tudo que Deus tinha mandado e fizeram os três milagres na presença deles. Há muitos anos aqueles idosos oravam a Deus, pedindo livramento e, quando viram aqueles milagres, ficaram convencidos de que aquilo era uma resposta de Deus. Animados, Moisés e Arão foram ao palácio [levar Moisés e Arão ao palácio] e disseram ao rei [falar com seriedade]: “Deus tem uma mensagem para ti: ‘Deixa Meu povo ir para adorar-Me no deserto’.”
Vocês acham que Faraó foi bonzinho e deixou o povo ir imediatamente? Não! Ele disse: [falar com expressão de deboche e teimosia.] “Quem é o Senhor, para eu ouvir Sua voz? Não conheço o Senhor e não vou deixar o povo ir.” Além disso, Faraó já sabia que Moisés e Arão estavam avisando o povo de que seriam libertos. E o povo, pensando que isso aconteceria logo, não estava mais trabalhando do mesmo jeito. Faraó, muito nervoso, disse [falar com voz irada]: “Vocês estão criando problemas. O povo está parando com seu trabalho!” Moisés e Arão saíram dali, e o rei ordenou aos chefes dos escravos que dobrasse o trabalho dos escravos. Todos os dias, os hebreus tinham que fabricar uma grande quantidade de tijolos. [Mostrar os tijolos.] Eles misturavam o barro com palha [opção - mostrar um pedaço de argila e um pouco de palha], formavam os tijolos e depois colocavam tudo para secar. Mas Faraó mandou que não dessem mais a palha para eles misturarem no barro. Eles teriam que ir buscar a palha e fazer a mesma quantidade de tijolos que antes. 
É claro que os israelitas não deram conta do trabalho e, por isso, os egípcios bateram muito neles. Até as crianças e os idosos apanharam. O povo ficou muito revoltado com isso e colocaram a culpa de tudo em Moisés e Arão. Os dois irmãos pediram a ajuda de Deus. E Deus ordenou que eles fossem a Faraó outra vez.
Eles foram ao palácio do rei e o avisaram sobre o que aconteceria ao Egito se Faraó não deixasse o povo ir. E, para mostrar que estavam falando em nome do Deus Todo-Poderoso, Arão jogou a sua vara no chão, diante de Faraó. A vara transformou-se em serpente. Rapidamente o rei chamou seus mágicos e pediu-lhes que lançassem sua varas. Eles as lançaram e elas também se transformaram em serpentes. Mas a serpente de Arão devorou todas as outras serpentes. Será que os magos tinham poder para transformar uma vara em serpente? Não. De jeito nenhum! Satanás usou seu poder para que as varas dos magos se parecessem com serpentes. Quando a serpente de Arão engoliu as outras, ficou provado que as dos magos eram falsas. Infelizmente, mesmo assim, Faraó não deixou o povo ir. Moisés e Arão ainda teriam que falar muitas vezes com ele. Ainda bem que Moisés tinha vencido seu medo de falar com o rei.

REVISANDO: [Marcar uma altura da parede e dizer que, assim como os israelitas tinham um tempo certo para produzir uma quantidade de tijolos, elas terão que construir uma pilha de tijolos até aquela altura. Explicar que a cada resposta certa você colocará um tijolo e a cada resposta errada você terá que tirar um tijolo. Fazer as perguntas da lição (abaixo) para as crianças e incentivá-las a terminarem a construção a tempo.] 

Que milagres Deus concedeu a Moisés como sinal para que o povo acreditasse nele?  A vara se tornar em serpente, a mão se tornar leprosa, a água se tornar em sangue.
Por que Deus enviou Arão com Moisés? Porque Moisés achava que não conseguiria falar direito.
Para quem Arão e Moisés fizeram os milagres primeiro?  Para os anciãos de Israel.
Além de não deixar o povo ir  embora, o que Faraó fez que dificultou muito a vida deles? Não deu palha para eles fazerem os tijolos e exigiu que fizessem a mesma quantidade de tijolos.
O que aconteceu quando Moisés e Arão realizaram o primeiro milagre com a vara? Os magos egípcios imitaram o milagre, mas a cobra de Arão comeu as cobras dos magos.
Quem fez com que as varas dos magos parecessem com serpentes? Satanás.


MEMORIZANDO: [Dizer:] Deus prometeu a Moisés que o ajudaria a falar. Essa promessa também serve para nós. Vamos memorizar o que Deus. [Ler o verso e ensiná-lo como está descrito na lição.] 
Agora vá - [indicar um caminho com as mãos].
Pois eu o ajudarei a falar - [apontar para o céu, por as mãos na boca na forma de um cone.]
E lhe direi o que deve dizer - [indicar o ouvido, repetir o cone com as mãos na boca.]
Êxodo 4:12 - [desabrochar uma flor e formar um livro.]

APLICANDO: [Dizer:] Moisés venceu o medo e confiou na promessa de Deus. Deus cumpriu sua promessa de ensinar-lhe o que haveria de dizer [recitar o verso para memorizar]. Nós também podemos fazer o mesmo. Quando temos uma tarefa dada por Deus, precisamos vencer o medo, confiando que Ele nos ajudará a realizá-la. Vou falar de algumas tarefas que temos de fazer, como cristãos. Sempre que eu falar, repitam o verso que memorizamos hoje.
a) Sandra tem vergonha de entregar folhetos (mostrar um folheto). A promessa de Deus é (verso para
memorizar).
b) Gustavo sabe que deve contar aos amigos que Jesus morreu pelos seus pecados, mas ele tem medo de zombarem dele. A promessa de Deus é [verso para memorizar].
c) Juliana foi convidada para orar na igreja e está com muita vergonha. A promessa de Deus é [verso para memorizar].
d) Jorge não quer cantar na apresentação das crianças porque tem medo de errar. A promessa de Deus
é [verso para memorizar].
e) Alessandra precisa dizer à professora que não pode assistir aulas aos sábados, mas está com medo de ser pressionada a vir à escola. A promessa de Deus é [verso para memorizar].

CONTANDO AOS OUTROS: [Entregar uma cópia da atividade para cada criança. Deixar que pintem a figura. Enquanto pintam, dizer:] Moisés não desistiu de cumprir seu trabalho para Deus, mesmo enfrentando dificuldades. Nós também devemos fazer nosso trabalho para Deus, mesmo sendo difícil. Usem este material para contar isso a alguém que esteja sem coragem de realizar seu trabalho para Deus.

Tesouros Infantis - 2º Trim. 2012 - lição 9


Uma Nova Vida


OBJETIVO: Praticar a reverência para com Deus.
VERSO PARA MEMORIZAR: “Venham, fiquemos de joelhos e adoremos ao nosso Criador.” Salmo 95:6. 
RECURSOS NECESSÁRIOS: Conquistando a Atenção:  palito de fósforo, vela; Lição: Opção A - maquete (cenário com bonecos); Opção B - cenário grande e roupas dos tempos bíblicos; Revisando: prato, colher, pote com grãos de lentilha, bacia ou outro prato; Contando aos Outros:  Opção 1 - cópia da atividade; Opção 2 - sandália com o verso para memorizar.

COMO PREPARAR OS RECURSOS NECESSÁRIOS

Lição: Escolher uma das opções de visuais abaixo: 
Maquete: Usar o mesmo palácio da lição anterior, sobre um suporte de areia ou isopor. O ídolo egípcio pode ser uma miniatura de gatinho ou de boi. Escolher  uma das sugestões aqui  para fazer os personagens: Moisés, Faraó, Jetro, Zípora. 
Fazer algumas ovelhas de bolas de algodão. Para o monte Sinai, ampliar o desenho abaixo e usá-lo como molde para cortar o monte em papel marrom e em cartolina. Colar palito de dente atrás da figura para espetá-la no isopor. Copiar e recortar as figuras da sarça e de Moisés (abaixo) e colori-las.

Figuras: 

Flanelógrafo: Colar areia, pedaços de feltro ou lixa na parte de trás das figuras dos personagens e do cenário. Colar pedacinhos de velcro atrás das figuras e no cenário para fixá-las. 

Cenário grande: Decorar um canto da sala como um palácio (pode ser uma cadeira coberta com tecido dourado). Do outro, fazer o monte Sinai, cobrindo cadeiras de diferentes tamanhos com TNT marrom. Ter turbantes, ou faixas para colocar nas crianças e também um cabo de vassoura para ser o bordão de Moisés.


Contando a Outros (opção 1): Fazer cópias da atividade abaixo (gravura extraída do site: http://www.ebdonline.com.br/gravuras.htm):



Contando a Outros (opção 2): Recortar o solado das sandalinhas usando o molde da abaixo. Cortar as tiras conforme o modelo que escolher. Cortar uma tira de papel branco e fazer uma sanfona. 



CONQUISTANDO A ATENÇÃO: [Acender uma vela e pedir que as crianças observem o que vai queimar mais rápido: o palito de fósforo (que é feito de madeira) ou a vela (que não é de madeira). Mostrar o que sobrou do fósforo queimado e perguntar o que acontece com uma árvore que pega fogo. Dizer:] Toda árvore que pega fogo vira carvão. Mas hoje vamos falar de uma planta que pegava fogo, mas não virava carvão. 

APRESENTANDO A LIÇÃO: [Movimentar os visuais escolhidos enquanto conta a história, de acordo com a necessidade. Relembrar rapidamente a lição da semana anterior. Dizer:] Quando Moisés foi morar no palácio do rei, sentiu muita falta de sua família. [Colocar o personagem de Moisés no palácio.] Apesar do palácio ser muito lindo e de ter tudo que queria, Moisés ficava muito infeliz ao lembrar que seu povo era escravo. [Mostrar o rosto triste.] 
Moisés era muito educado e inteligente. Todos no palácio gostavam dele. Ele cresceu e se tornou uma pessoa admirada. E Faraó o colocou como chefe do exército. Ele queria que Moisés fosse o próximo rei e o preparou para isso, com os melhores professores. [Colocar o personagem de Moisés diante de um ídolo egípcio.] Mas, para ser rei do Egito, Moisés precisaria adorar os ídolos do Egito e, por mais que insistissem ou ameaçassem, ninguém conseguiu convencê-lo disso. [Fazer o personagem de Moisés virar as costas para o ídolo.] No palácio todos adoravam ídolos, menos Moisés. Ele só adorava ao Deus vivo e verdadeiro.
[Contar essa parte da história com bastante expressão.] Um dia ele saiu para um passeio e viu um egípcio maltratando um israelita. Ele olhou para todos os lados e não viu ninguém. Então, muito nervoso, matou o egípcio. No outro dia Moisés saiu de novo pela cidade, pensando que ninguém sabia do seu crime, e encontrou dois israelitas brigando. Quando tentou separar a briga, um deles disse: “Quem colocou você como nosso chefe? Você vai me matar, como matou o egípcio?” Moisés ficou assustado quando percebeu que tinha sido descoberto e resolveu fugir imediatamente. Não deu tempo de pegar nada, só um bordão. [Colocar o bordão na mão de Moisés.] E, realmente, quando Faraó soube do que aconteceu, mandou prender Moisés, mas ele já estava muito longe.
[Movimentar o personagem pelo deserto.] Moisés andou muitos dias pelo deserto, pensando em tudo que tinha acontecido. Ele sabia que tinha desobedecido a Deus e estava arrependido. Depois de muito andar chegou à terra de Midiã. Naquela região morava Jetro, um sacerdote de Deus que tinha sete filhas. Moisés se tornou amigo de Jetro e casou-se com uma de suas filhas, Zípora. E, de capitão do exército egípcio, Moisés tornou-se pastor de ovelhas. Deus queria que Moisés tirasse os israelitas do Egito, mas antes ele precisava aprender a cuidar de ovelhas. Em muitas coisas, as ovelhas se parecem com as pessoas. Cuidando delas, Moisés aprenderia paciência, bondade e amor. Ali, em Midiá, Moisés escreveu Gênesis, o primeiro livro da Bíblia. 
Certo dia Moisés levou o rebanho para pastar em um monte chamado Horebe. [Colocar Moisés e algumas ovelhas perto do monte.] Lá ele viu um arbusto pegando fogo, mas que não se queimava. [Colocar o visual da sarça ardente.] Ele quis chegar mais perto para ver mas, ao aproximar-se, ouviu uma voz: “Moisés, Moisés!” Ele respondeu: “Estou aqui!” Deus estava no arbusto falando com Moisés. Antes que Moisés se aproximasse, Deus o avisou para não ser irreverente: “Tira as sandálias dos teus pés, porque o lugar em que tu estás é terra santa.” Percebendo que Deus estava ali, Moisés encobriu o rosto e ficou muito reverente. Então, Deus falou a Moisés que tinha ouvido os pedidos dos israelitas e iria libertá-los. Ele mandou Moisés ir a Faraó pedir que deixasse seu povo ir. Isso deixou Moisés muito preocupado e com medo. E se o povo não acreditasse nele?  Deus explicou que Faraó seria teimoso e não deixaria o povo sair e que, por isso, muitas coisas ruins aconteceriam com os egípcios até libertarem os israelitas. O que Moisés faria? Semana que vem veremos o que aconteceu.
MEMORIZANDO: [Dizer:] Nosso Deus é muito poderoso. Ele é grande e maravilhoso. Mas, para estar na presença dEle é preciso ter reverência. Moisés tirou as sandálias dos pés, cobriu o rosto e ajoelhou-se. Nós também precisamos ter muita reverência quando nos aproximamos de Deus porque Ele é santo. É isso que a Bíblia diz [ler o verso na Bíblia e ensiná-lo fazendo os gestos como estão descritos na lição:] 
Venham, fiquemos de joelhos - [chamar e inclinar-se.]
E adoremos ao nosso Criador - [juntar as mãos e apontar para o céu;]
Salmo 95:6 - [desabrochar uma flor e formar um livro.]

REVISANDO: [Fazer uma pergunta (abaixo) e pedir para as crianças que estiverem de sandália responderem. Fazer outra pergunta e pedir para quem estiver de tênis. Variar perguntando para quem está de sapatos pretos, sapatos brancos, sandália vermelha, etc.] 


Sugestões de perguntas:
Por que Moisés não era feliz no palácio da princesa? Por lembrar que seu povo era escravo.
O que todos faziam no palácio, menos Moisés? Adoravam ídolos.
Que cargo Moisés ocupava? Chefe do exército.
O que Moisés fez ao ver um egípcio maltratando um hebreu? Matou-o.
Que mandamento Moisés quebrou ao matar o egípcio? Não matarás.
Para onde Moisés fugiu depois de matar o egípcio? Para Midiã.
Que trabalho Moisés fazia para seu sogro, Jetro? Cuidar das ovelhas.
O que Moisés aprendeu enquanto cuidava do rebanho? Paciência e cuidado.
Que livro da Bíblia Moisés escreveu em Midiã? Gênesis.
Por que havia fogo no arbusto, mas ele não se tornava em carvão? Porque Deus estava nele.
Por que Moisés teve que tirar as sandálias dos pés? Para mostrar reverência.
Aonde Deus enviou Moisés? Ao Egito.


APLICANDO: [Explicar o significado de reverência (respeito às coisas sagradas). Falar sobre como podemos ser reverentes para com Deus (falando seu nome com muito respeito, sendo cuidadosos com a Bíblia, sendo reverentes no culto em casa e na igreja). Dizer:]  Os anjos de Deus levam um relatório de como nos portamos na casa dEle. Vou dizer algumas situações. Quando o que eu disser for um bom relatório, vocês levantam os polegares. Se for um mau relatório, abaixem os polegares.
a) Correr pela igreja. Mau relatório.
b) Cantar o hino animadamente. Bom relatório.
c) Cochichar durante o sermão. Mau relatório.
d) Brincar com o celular. Mau relatório.
e) Anotar as palavras do pregador. Bom relatório.
f) Sair do templo só quando necessário. Bom relatório.
g) Conversar ou rir durante a oração. Mau relatório.
h) Estudar a lição e participar da Escola Sabatina. Bom relatório.
i) Ir à igreja usando roupas que distraem a atenção das pessoas. Mau relatório.
j) Cantar hinos com ritmos profanos. Mau relatório.
k) Usar roupas limpas e de bom gosto, mas simples e modestas. Bom relatório.
l) Louvar a Deus com cânticos sacros. Bom relatório.

CONTANDO AOS  OUTROS:
Opção 1: [Com antecedência, recortar os quadrados do quebra-cabeças. Entregar um conjunto de peças recortadas para cada crianças. Ajudá-las a colar as peças no lugar certo. Deixar que elas pintem tudo.]
Opção 2: [Entregar as sandalinhas e as tiras de papel dobrado em forma de sanfona. Deixar as crianças escreverem as partes do verso para memorizar na dobras da sanfona e ajudá-las a colar a tira na sandália.]
Obs.: Nas duas opções, incentivar as crianças a usarem a atividade para contar aos outros o que aprendeu na lição.




Tesouros Infantis - 2º trim. de 2012 - Lição 8


Salvo pela  Graça



OBJETIVO: Mostrar que Deus nos protege e tem planos para nossa vida.

VERSO PARA MEMORIZAR: “O Senhor está comigo: Não temerei”.  Salmo 118:6.
RECURSOS NECESSÁRIOS: Conquistando a Atenção: jarra com água, tinta guache; Lição: visuais sugeridos abaixo, figuras de anjos (opcional); Revisando: maquete do rio e cestinho com boneco; Contando aos Outros: lápis de cor; cópias da atividade. 

COMO PREPARAR OS RECURSOS NECESSÁRIOS
Lição: Abaixo, oferecermos duas opções de maquete e uma de cenário grande. Escolher a que melhor se adaptar à realidade da sala.
Maquete (opção 1): Sobre uma placa de isopor, colocar um palácio em miniatura (feito de papelão) e de um rio, que pode ser um pedaço de papel celofane ou TNT azul. Perto do rio, fazer esconderijos para Miriam (pedra, árvore, arbusto). Os personagens podem ser feitos de silhuetas (ver aqui) . Cada silhueta deve ser pintada de acordo com o seu personagem. Espetar as silhuetas no isopor e movimentá-las enquanto conta a história.


Veja mais recursos visuais aqui
As imagens abaixo foram extraídas do maravilhoso blog da Bel Amaral. 
Não deixe de navegar nele. http://escolinhabiblicadagarotada.blogspot.com.br


As imagens abaixo foram extraídas do blog da tia Alê. 
Vale à pena visitar e seguir esse blog. Ele é demais!











Cenário grande: De um lado da sala, ter um cenário de casa (mesa, panelas, cadeira, etc.) e no outro lado, fazer o cenário do rio (colocar uma faixa de tecido azul para imitar o rio e plantas naturais ou artificiais ao redor dele). 
Ter um cestinho pequeno de vime (também pode ser de canudos de jornal trançados) ou uma caixa de sapatos. Para imitar o betume, passar cola quente preta nele ou tinta guache. Preparar também uma tampa para o cestinho. Colocar um bonequinho dentro da cesta, embrulhado em um paninho. 

Revisando: Usar a mesma maquete de rio e o mesmo cestinho com boneco usado na lição. 

Contando aos outros: Fazer as cópias das figuras abaixo em cartolina (ou colá-las em cartolina). Se as crianças forem muito pequenas, recortar tudo com antecedência.



Lembrancinha: Pode-se dar um cestinho com um bonequinho de plástico dentro e um cartão com o verso para memorizar. Abaixo, algumas sugestões de cestinhos.


CONQUISTANDO A ATENÇÃO: [Com antecedência, ter uma jarra com água em cima da mesa. Sem que as crianças percebam, sujar as mãos com tinta guache de cor forte (azul, vermelha, verde etc). Dizer que está com muita sede, aproximar-se da jarra e pegá-la. Mostrar admiração ao perceber que sujou a jarra com a tinta de suas mãos. Dizer que ainda está com sede mas que não poderá beber água porque ela ficou toda suja de tinta. Deixar que as crianças comentem que a água de dentro da jarra não se sujou (combinar com um adulto para fazer esse comentário, caso as crianças não o façam). Um ajudante, se necessário, deve explicar que a sujeira de fora não contaminou a água porque a jarra é impermeável (o que está fora passa pela parede da jarra). Dizer:]  Ah! Entendi. Agora eu sei o que é impermeável. É uma coisa que não deixa os líquidos passarem para dentro ou para fora dela. Isso me lembra que na história de hoje vai ter uma coisa impermeável. Vamos ver?

APRESENTANDO A LIÇÃO: [Ajustar a história ao tipo de material escolhido para contá-la. Lembrar que alguns momentos dessa história devem ser contados com bastante emoção.] [Perguntar:] Lembram-se que quando Jacó lutou com o Anjo seu nome foi mudado para Israel? [Dar tempo para as respostas.] Por isso, quem nascia na sua família ficava conhecido como israelita. Quando José  trouxe os israelitas para morarem no Egito, eles ocuparam uma região chamada Gósen e lá eles se multiplicaram bastante. [Colocar vários israelitas no cenário.] Enquanto José era vivo o povo servia a Deus. Mas, depois que ele morreu, começaram a fazer amizade com os egípcios. Os egípcios tinham vários deuses: a vaca, o gato, o rio, as rãs e muitos outros. E uma grande parte dos israelitas começaram a se envolver com essas coisas também, misturando as coisas de Deus com as dos egípcios. Agindo assim, eles perderam a bênção de Deus e começaram a acontecer muitas coisas ruins com eles. Nessa época José já tinha morrido e o faraó que conhecia José também. O novo faraó não conhecia José e nem sabia nada de como José salvou o Egito da fome. O que o novo faraó percebeu é que cada vez nascia mais israelitas e eles foram aumentando, aumentando. [Colocar mais israelitas no cenário.] Ele ficou com medo que os israelitas se juntassem com os inimigos dos egípcios e lutassem para dominar o país. Então, ele resolveu deixar a vida dos israelitas muito difícil, pensando que assim eles não teriam tantos filhos. Sabem o que ele fez? Obrigou todos eles a se tornarem escravos. Eram obrigados a trabalhar muito duro, fazendo tijolos e construindo cidades, sem receber salário e, por qualquer motivo, eram espancados pelos guardas do rei. Que vida dura e triste!

Mas, mesmo com tanto sofrimento, os israelitas continuavam aumentando. [Colocar mais israelitas no cenário.] O rei ficou muito nervoso com isso e mandou as parteiras matarem todos os bebês meninos que nascessem das israelitas. Que coisa horrível, não é? Mas elas não fizeram isso,  não. Quando faraó percebeu isso, ficou muito irado e resolveu fazer uma coisa mais horrível ainda. Ele mandou que todos os bebês meninos fossem jogados no rio Nilo. Já pensaram? Que rei malvado!
Bem nessa época atribulada, uma família teve um bebê menino. A família era composta do papai Anrão, da mamãe Joquebede, da irmã Miriam e do irmãozinho Arão. [Mostrar a família.] Eles eram obedientes a Deus. Quando o bebezinho nasceu, era tão fofinho que toda a família ficou muito apegada a ele. Estavam felizes por terem um bebê tão bonito. Mas, ao mesmo tempo, com muito medo dos egípcios descobrirem e jogarem o bebê no rio. Por isso, o esconderam por três meses. Só que o bebê foi crescendo, o choro foi ficando mais alto e ficou muito difícil de escondê-lo.  Então, Joquebede teve uma ideia: fez um cestinho de junco e passou  uma coisa escura e gosmenta, chamada betume, por dentro e por fora. Depois que o betume secou o cestinho ficou impermeável. Ou seja, a água não entrava nele. [Mostrar o cestinho.]
Como não tinha outro jeito, Joquebede colocou seu bebezinho dentro do cestinho [colocar o bebezinho dentro da cesta.] e foi junto com Miriã até o rio. [Levar os personagens de Joquebede e Miriam até o rio.] Como toda mãe temente a Deus, ela deve ter feito uma oração muito fervorosa pedindo que o Senhor cuidasse de seu bebê. Depois, colocou o cestinho na água, deixou Miriam observando o que aconteceria e foi para casa, para não deixar que os egípcios percebessem o que ela tinha feito. [Colocar o cestinho no rio e afastar o personagem de Joquebede. Fazer o cestinho “andar” pelo “rio” e depois parar.]
Miriam não ficou sozinha cuidando do cestinho. Sem que ninguém visse, anjos vieram do céu e cuidaram do bebê também. [Se possível, colocar figuras de anjos perto do cestinho.] E outros anjos fizeram outra coisa. Sabem o que era? Eles estavam dirigindo os passos da filha de Faraó em direção ao rio, para bem perto do lugar onde estava o bebê. [Aproximar a princesa do lugar onde está o cestinho.]
Quando a princesa estava pronta para tomar um banho no rio, viu o cestinho e ficou curiosa para ver o que havia dentro. [Colocar o cestinho perto da princesa.] Quando viu aquele bebê tão lindo, ficou encantada. Ela logo percebeu era um bebezinho israelita. E ficou com muita pena dele. Imediatamente ela decidiu adotar o bebê como seu próprio filho. Ela lhe deu o nome de Moisés, que quer dizer “tirado das águas”.
Mas o bebê estava chorando [imitar um choro de bebê] e a princesa não sabia o que fazer. Miriam, vendo que a princesa tinha sido bondosa com o bebê, aproximou-se dela e perguntou [aproximar Miriam da princesa e imitar uma voz de menina]: “A senhora quer que eu consiga uma babá para o nenê?” A princesa respondeu que sim e Miriam correu rapidinho para casa e chamou sua mãe. [Levar o personagem de Miriam até Joquebede.] Joquebede, que não tinha parado de orar, foi depressa com Miriam até o rio. [Levar os personagens de Miriam e Joquebede até a princesa.] A princesa disse a Joquebede [mudar a entonação da voz]: “Cuide desse menino para mim e eu vou pagar você.” Imaginem só! O bebezinho não estava apenas salvo. Ele poderia ser cuidado pela própria mãe sem perigo nenhum! Joquebede voltou para casa com seu bebê, transbordando de alegria e agradecendo a Deus por um milagre tão grande. [Levar os personagens de Joquebede, Miriam e  o bebê para a casa.]
Mesmo com todo esse privilégio, Joquebede pensou: “Deus deve ter salvo meu bebê para uma missão muito importante. Preciso educá-lo para isso.” Ela sabia que ficaria com ele por poucos anos. Então, aproveitou para ensiná-lo, desde pequeno, a amar a Deus e a não adorar ídolos. Ela também contou-lhe as histórias do povo de Deus desde Adão e Eva até José. Moisés também ficou sabendo do milagre que salvou sua vida e percebeu, mesmo sendo criança, que Deus tinha um plano para ele. 
[Colocar o personagem Moisés criança.] Um dia, quando Moisés tinha doze anos, a princesa mandou buscá-lo para ir morar no palácio e estudar para ser um rei. Foi muito triste a despedida. [Afastar Moisés de Joquebede.] Mas ele foi sabendo que Deus estaria com ele, como esteve quando era bebê. E Joquebede continuou orando a Deus, pedindo a Deus que ajudasse Moisés a ser fiel. Vamos ver o que aconteceu com Moisés na próxima semana. Não deixem de vir.



MEMORIZANDO: [Ler o verso na Bíblia, explicar que temer é a mesma coisa que “ter medo”. Dizer:] Os anjos de Deus estavam com o bebê Moisés. Eles estão conosco também. Quando estivermos em dificuldades devemos repetir esse verso e assim venceremos o medo. [Ensinar o verso usando os gestos sugeridos na lição:] 
O Senhor está comigo -[mostrar o céu e colocar as mãos no peito.] 
Não temerei - [negar com os dedos e esconder o rosto com as mãos.]
Salmo 118:6 - [desabrochar uma flor e formar um livro.]


REVISANDO: [Colocar o cestinho com o bebê Moisés no início do “rio”. No final dele, colocar uma menina representando a princesa. Fazer as perguntas (abaixo) para as crianças. Quando acertarem, fazer o cesto se aproximar da princesa. Se errarem, afastar o cesto um pouquinho. As crianças devem tentar levar o cesto até a princesa.] 
Sugestões de versos: 

Por qual nome a família de Jacó ficou conhecida? Israelitas.
Por que o novo Faraó tinha medo dos israelitas? Porque eles aumentavam muito e podiam se juntar ao inimigos dos egípcios e tomar o país.
Por que Deus permitiu que os israelitas se tornassem escravos? Porque eles se envolveram na idolatria.
Qual era o trabalho que os israelitas faziam para Faraó? Faziam tijolos e construíam cidades.
O que o rei ordenou às parteiras? Que matassem os bebês meninos.
Por que as parteiras não obedeceram ao rei? Porque temiam a Deus.
O que o rei ordenou que fosse feito co os bebês meninos dos israelitas? Que fossem jogados no rio.
Por quanto tempo Joquebede e Anrão esconderam seu bebê? Por três meses.
Quem vigiou o bebê enquanto estava num cestinho dentro do rio? Miriam e os anjos de Deus.
O que a princesa quis fazer com o bebê? Adotá-lo como seu filho.
Como Miriam ajudou a salvar seu irmãozinho? Oferecendo-se para chamar uma babá israelita e trazendo sua mãe para cuidar no bebê.
O que a princesa disse para Joquebede? Cuide dele para mim, eu vou pagá-la para isso.
Quanto tempo Moisés ficou com sua família? Por doze anos.
O que Joquebede ensinou a Moisés durante esse tempo? A amar a Deus e não adorar ídolos.




APLICANDO: [Dizer:] Os anjinhos de Jesus protegeram o bebê Moisés. Eles protegem vocês e eu também. Por isso, precisamos confiar sempre nEle. Vou falar algumas situações causam medo em algumas pessoas. Vocês devem dizer o verso para memorizar.
a) Acaba a luz durante a noite e você está sozinho em seu quarto. O Senhor está comigo. Não temerei.
b) A mamãe sai para as compras e deixa você com a titia. O Senhor está comigo. Não temerei.
c) Você tem que apresentar uma poesia na reunião de jovens e está com medo de errar. O Senhor está comigo. Não temerei.
d) Você estudou para a prova mas está com medo de esquecer tudo. O Senhor está comigo. Não temerei.
[Falar outras situações mais, se desejar.]


CONTANDO AOS OUTROS: [Entregar as figuras para as crianças. Se forem muito pequenas, entregar já recortadas. Se não, deixar que elas mesmas recortem tudo. Orientar para que pintem o cobertor do bebê e o carro. Depois, colar uma figura na outra. As crianças podem balançar o cestinho como se estivesse na água e, depois, virarem o carro e o deslocarem como se ele estivesse em movimento. Explicar que, assim como Deus cuidou de Moisés, Ele cuida das crianças hoje também. Recitar o verso para memorizar várias vezes, enquanto ajuda as crianças a fazerem sua atividade.]




Que bom que você veio!

Volte Sempre!