sexta-feira, janeiro 12, 2018

Oferta missionária - Assistência social e desastres mundiais 03/02/18

Projeto Missionário

              Os projetos missionários são desenvolvidos para que as crianças se envolvam com missões:
              - através de suas ofertas;
              - através de suas orações;
              - através de seu testemunho.
              Em “Missões” as crianças também conhecem um pouco mais sobre a nossa obra mundial, sendo desafiadas a cooperar com a causa do Mestre em todo o mundo.

Condições para o êxito:
-  Preparar o material com antecedência;
-  Seguir o projeto corretamente (ou aprimorá-lo);
-  Mostrar entusiasmo (o professor deve avaliar também seu envolvimento com missões).


Oferta missionária de primeiro sábado 03/02/18
Assistência social e desastres mundiais


“Que faz justiça aos oprimidos e dá pão aos que têm fome. [...]” (Salmos 146:7 — Almeida, Revista e Atualizada).
O Senhor Jesus disse: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” (Mateus 5:7). Os pobres estão ao nosso redor, os angustiados, os aflitos, os sofredores e os que estão prestes a perecer. Há uma grande necessidade, como sempre houve, da prática da misericórdia. Deus nos nomeou Seus mordomos, e Ele não deve ser cobrado pelos sofrimentos, miséria, nudez e falta de compaixão. O Senhor providenciou suprimento suficiente para todos nós, a fim de que aliviemos a necessidade dos sofredores e dos menos favorecidos.
Ouvimos falar diariamente em terremotos, guerras, inundações, vulcões e outros desastres e problemas mundiais, que ocasionam destruição e grandes prejuízos à propriedade e à vida. Assim que tomamos conhecimento de uma calamidade, nos mobilizamos imediatamente para responder à emergência. A forma como reagimos depende, em grande parte, da natureza do desastre, do país e da situação econômica e geopolítica da região. Avaliamos imediatamente a situação a fim de determinar as ações mais adequadas.
Além disso, em tempos de paz, o Departamento de Assistência Social providencia apoio, tal como ajuda monetária por meio de pedidos, assistência técnica, treinamento, aconselhamento, e identificação e estabelecimento de projetos. Onde temos experiência, queremos ajudar com supervisão e guia, conforme a necessidade. Nosso objetivo é capacitar a igreja local para atender às necessidades do lugar onde vive, seja providenciando alimentos, roupas, cobertores, abrigo ou apoio e aconselhamento emocional.
Compartilhar o amor de Deus em todo o mundo é como um avião que precisa de combustível para fazê-lo voar. Suas ofertas liberais fazem o papel do combustível que impulsiona quase todos os aspectos do auxílio aos desamparados. Sem o seu envolvimento, nossos melhores esforços serão certamente um desastre. É difícil para todos se dirigirem ao local das calamidades, mas seu apoio financeiro pode ir longe. Apelamos a você, para que seu coração seja sensibilizado a participar dessa nobre tarefa. Por favor, doe liberalmente a essa causa.

Seus irmãos do Departamento de Assistência Social


Maternal

Maquete (para todos os sábados):  Sobre uma mesinha ou no chão, colocar uma placa pequena de isopor ou de papelão. Montar uma maquete de cidade, com um prédio, uma ou duas casas e árvores e uns dois bonecos.
Transporte das ofertas (para o primeiro sábado de fevereiro): ter um caminhão ou trem de brinquedo. Fazer pacotinhos pequenos de arroz e feijão, ter roupas de bonecas e encapar caixinhas de papelão para serem os remédios.

[Todos os sábados, a partir de 13 de fevereiro, apontar para a maquete e dizer:] Vejam essa cidade. As pessoas estavam bem tranquilas aqui. De repente o chão começou a balançar bem forte. [Chacoalhar o suporte da maquete até que os objetos caiam.] Vejam só! Foi tudo destruído! As pessoas agora não têm mais onde morar! A comida acabou e elas estão com fome. Que triste! Algumas estão com dodóis. Elas precisam de remédios. Vamos ajudar nossos amiguinhos que perderam suas casas, estão com fome e precisam de remédio?  Vamos juntar uma boa oferta para enviar pra eles.   [Passar a cestinha de ofertas pelas crianças, cantando “Plin, plin, plin”. Em seguida, orar agradecendo pela oferta.]
[Repetir o procedimento acima por todo o mês de janeiro. No primeiro sábado de fevereiro, contar a história e dizer:] “Hoje é o dia que vamos enviar nosso dinheirinho para nossos amiguinhos que estão precisando de ajuda.” [Colocar roupinhas de bonecas, pacotinhos de comida e caixinhas de remédio em um trem ou caminhão de brinquedo. Levar tudo até a maquete e descarregar lá. Dizer:] “Vejam, que maravilha! Com as nossas ofertas, agora essas pessoas terão comida, roupa e remédios! Que bom! Deus seja louvado!”. [Bater palmas de alegria.]



Projeto Bazar Missionário para as classes
Tesouros Infantis e Pequeno Pesquisador

Oferta para o 1º Sábado de Fevereiro   
Projeto Bazar Missionário
  
Objetivos:
- Aumentar os recursos para a oferta do 1º sábado de fevereiro, destinada à assistência social.
- Incentivar a abnegação e esforço em benefício de outros.
- Preparar as crianças e juvenis para o serviço cristão.

Com este projeto espera-se sensibilizar as crianças para ajudar nas necessidades de nossos irmãos sofredores em todo o mundo. O valor arrecadado com o bazar vai representar os esforços das crianças nesse sentido.

Procedimentos quanto ao bazar:
* No segundo sábado de janeiro apresentar o projeto de um bazar beneficente para o último domingo do mês o (se já houver algum evento da igreja nesta data, escolha outra bem próxima). Cada criança deverá fazer uma averiguação em seu guarda-roupa e ver o que pode ser doado (roupas, calçados, brinquedos). Também pode-se estabelecer grupos de recolta (de roupas, brinquedos em bom estado etc) e os adolescentes podem preparar peças de artesanato. Enfim, é preciso arrecadar material suficiente para fazer uma feirinha bem atraente.

* Providenciar um recipiente na sala (caixa, armário, cesta, etc.) onde serão depositados os itens que cada criança trouxer. A cada sábado relembrá-las do bazar e da necessidade de trazer mais coisas. Pedir aos adultos que colaborem também com suas doações. Combinar todos os detalhes com os pais e deixar claro que conta com a ajuda deles.

* Escolher um local onde haja um bom espaço e fácil acesso: uma escola, a garagem de alguém, por exemplo.

* Fazer uma boa propaganda do bazar e estar certo de que os adultos da igreja e de fora estarão presentes:
 - Os juvenis podem confeccionar cartazes e colocá-los em lugares estratégicos da igreja e da vizinhança (pode-se fazer panfletos também).
 - Convidar os amigos.
 -  Fazer anúncios verbais a cada sábado na igreja.
 - Se possível, fazer uma faixa, (recoltar o material para isso).

* Na data escolhida, as crianças e os professores dos menores devem montar um bazar e oferecer os produtos recoltados pelas crianças. Elas devem ajudar na montagem, nas vendas, na ordem, etc.

* Lembrar que essa oferta representará o trabalho das crianças para juntarem uma boa oferta. 

* No primeiro sábado de fevereiro, , na apresentação das crianças, escolher uma das histórias missionárias abaixo e contá-la para os adultos com a ajuda das crianças. Depois, divulgar o valor arrecadado com o bazar e entregá-lo ao tesoureiro da igreja, para ser contado na oferta especial de 1º sábado. Não esquecer de agradecer a todos os participantes e colaboradores, principalmente as crianças. Incentivar os adultos a superarem o valor angariado pelas crianças. Combine com a direção da escola sabatina para que as crianças façam o recolhimento da oferta nesse dia. 

Cantinho das missões

Durante quatro sábados, as crianças e juniores vão conhecer como a oferta do primeiro sábado de fevereiro será utilizada. Em ambas as classes é importante ter o “Cantinho das Missões”, que pode ser uma mesa, uma mural, uma parede, um canto da sala. Esse espaço deve ser reservado para os materiais utilizados durante o mês e servir também como um lembrete da oferta missionária.

Veja a seguir as orientações para o cantinho das missões e as atividades na classe Tesouros Infantis. E, mais abaixo, as sugestões para a classe Pequeno Pesquisador.



Colocar as seguintes sugestões no “Cantinho das  Missões” (mesa, estante ou mural). As figuras dos países, animais e alimentos devem ser usadas de acordo com as histórias de cada sábado: 
· Colocar o recipiente para receber as doações no cantinho das missões. A cada sábado as crianças colocam ali o que arrecadaram durante a semana.
· Ter uma faixa com a frase: Oferta para assistência social. Eu colaboro!
· Fazer uma bandeirinha para cada país citado nas histórias missionárias, colar em um palito de pirulito ou churrasco e espetar em meia bola de isopor pintada.
· Colocar figuras de lhamas, hutias, jacarés e náutilos, de acordo com o país mencionado.
· Fazer uma cesta com batatas, batata doce, milho, mandioca e coco.
· Fazer uma maquetes dos lugares, de acordo com as histórias.
· Ter um mapa do mundo e destacar os lugares mencionados nas histórias.
· Decorar uma caixa de sapato com a logo do nosso departamento de assistência social colada nas laterais, com a faixa: “Oferta para assistência social. Eu colaboro.” Usar a caixa como coletor de ofertas.



· Ter a data de 03 de fevereiro destacada em um calendário, para mostrar quanto tempo falta para trazer a oferta.
· Colocar faixinhas com versos bíblicos e ditados populares sobre a beneficência social.
· Combinar com as crianças um alvo para a oferta do 1º sábado. Todos sábados esse alvo deve ser relembrado. No dia 03 de fevereiro, juntamente com as crianças, somar o valor arrecadado no bazar com as ofertas pessoais das crianças. Se o alvo for atingido, colocar vários emojis de mãos batendo palmas ao lado do alvo de arrecadação.



Histórias 
(Adaptar a linguagem para cada turma)

Sábado, 13 de janeiro.

[Montar um cenário usando miniaturas de árvores, casas  (de preferência com o telhado solto), postes, automóveis. Mas lembre-se que o Haiti é um país pobre e é bom que a maquete transmita essa realidade. Veja ótimas dicas para construir maquetes AQUI 
   

Fonte: http://www.artesanatoereciclagem.com.br/1562-maquete-escolar-modelos-e-dicas-de-como-fazer.html

[Usar prendedores de roupa (de madeira) com rostos desenhados ou bonequinhos de plástico (encontrados em casas de festa), para representar os personagens. Fazer uma cópia do rosto triste e do rosto feliz (abaixo). Ter um ventilador disponível.]


[Dizer:] Você está dentro da sua casa e de repente, parece que você está dentro de um liquidificador. As coisas começam a girar, o teto da casa vai embora voando, começa a chover dentro de casa, e há um barulho ensurdecedor. Na verdade, parece que o mundo vai acabar. Foi assim que se sentiu uma adolescente de 14 anos dentro de sua casa, na cidade de Jeremias, litoral do Haiti. [Apontar o Haiti no mapa.] Com certeza, centenas de outras pessoas sentiram a mesma coisa que essa menina sentiu com a passagem do furacão ... em ____ de outubro de 2016, que fez uma destruição terrível no país. [Ligar o ventilador sobre a maquete e fazer com que as casas voem.] Muitas casas foram destruídas e as pessoas perderam tudo que tinham.  Eles ficaram assim. [Mostrar o rosto triste.] Mas, sabem, aquela garota frequenta nossa igreja no Haiti. Lá sete famílias de nossos irmãos ficaram nessa situação terrível. O que aconteceria com eles?

Deus já havia providenciado um meio para resolver isso. Todos os anos, no primeiro sábado de fevereiro ou março, os irmãos do mundo inteiro entregam suas ofertas para ajudar nessas emergências. Então, quando o furacão passou pelo Haiti  nosso departamento de assistência social imediatamente enviou recursos para lá e a igreja pode repor tudo que aquelas famílias perderam. Elas ficaram assim. [Mostrar rosto sorridente.] E todas as pessoas que deram suas ofertas ficaram assim também.

[Apontar para 03 de fevereiro, no calendário.] Dia 03 de fevereiro teremos a oportunidade de colaborar com nosso departamento social mundial. Vamos fazer o nosso bazar e economizar nosso dinheiro para podermos trazer uma oferta bem generosa. Eu acho que podemos dar uma oferta de mais de _______ reais. O que acham? [Combinar um valor com as crianças e explicar o plano do bazar missionário. Depois, dizer:] Enquanto 03 de fevereiro não chega, vamos recolher a oferta que vai ajudar nossa associação a fazer o trabalho missionário aqui. [Cantar “Plim, plim,”, enquanto as crianças colocam suas ofertas no coletor. Depois,  agradecer a Deus com uma oração.]
      



Sábado, 20 de janeiro

[No cantinho das missões, colocar a figura da menina haitiana. Pode-se colocar também as fotos dos animais típicos do Haiti: jacaré, hutia e baleia. Outra opção é ter um prato típico de lá e dar uma provinha para as crianças levarem para casa e comerem no almoço, lembrando os pais do destino da oferta de 03 de fevereiro.]


Bandeira do Haiti



Menina do Haiti


Animais típicos do Haiti

Hutia
Fonte: https://www.britannica.com/animal/hutia


Baleia Jubarte
Fonte: http://www.freevectors.net/details/Gray+Humpback+Whale

[Mostrar o Haiti no mapa. Dizer:] Esse país aqui é o Haiti. Ele fica em uma ilha.  De vez em quando acontecem furacões e terremotos lá e as pessoas perdem suas casas, móveis e roupas. Além disso, muitos papais e mamães não conseguem trabalho e não têm dinheiro para comprar comida, roupa e remédios para sua família. Muita gente do governo pega o dinheiro que deveria ser usado para ajudar o povo. Além disso, grande parte dos haitianos adora o demônio. Essas pessoas são briguentas, nervosas e egoístas. 

Ainda bem que, graças a Deus, alguns bons missionários foram até lá para contar a essas pessoas sobre o amor de Deus. Nossa igreja no Haiti tem mais ou menos 300 irmãos. [Mostrar a Bíblia.]  Eles estudaram a Palavra de Deus e aprenderam a pacientes, bondosos e prestativos. Isso os deixa muito diferentes das outras pessoas.

Mas os irmãos de lá são muito pobres. Muitos não têm no que trabalhar. E outros, às vezes, não têm um único pão para comer durante todo o dia. Eles, então, tiveram uma ideia: “Se nós tivermos uma padaria, teremos trabalho e sustento para nossos irmãos e também poderemos ajudar aqueles que não podem trabalhar, que são os órfão, as viúvas e os doentes, que não têm nada para comer.” O problema é que uma padaria precisa de amassadeira, forno, assadeiras e muito mais. Como não há energia nas casas, nem água encanada, precisa ter um gerador de energia e comprar água também. Tudo isso custa muito dinheiro e os irmãos de lá não tinham a menor chance de conseguir realizar esse sonho. Eles ficaram assim. [Mostrar rosto triste.]

Foi quando irmãos de várias partes do mundo e especialmente do Brasil atenderam ao apelo do departamento social e enviaram suas ofertas. Os equipamentos foram comprados, o lugar foi preparado e em maio de 2017 a padaria começou a funcionar.  Hoje, através dela, 17 famílias tiram seu sustento, entre quem produz e quem vende o pão. Além disso, órfãos, viúvas e doentes, que antes não tinham o que comer, agora recebem seu pão todos os dias. O rosto dos irmãos de lá ficou assim. [Mostrar o rosto feliz.] Isso não é maravilhoso? Glória a Deus! 

Gente, isso só aconteceu porque as pessoas enviaram suas doações para o departamento de assistência social. Dia 03 de fevereiro teremos a oportunidade de mandar nossa oferta também. Vamos trabalhar por nosso bazar e economizar bastante para ajudar os necessitados de todo o mundo no dia 03 de fevereiro.

Enquanto isso, vamos ajudar nossa associação aqui a cuidar das igrejas daqui.

[Cantar “Plim, plim”, enquanto as crianças colocam suas ofertas no coletor.] 


Uma das igrejas do Haiti








A igreja abaixo suportou o terremoto intacta.


Conheça um pouco da culinária haitiana, lendo um artigo AQUI.




Aula de panificação, dada pelo missionário Elias, no início das atividades da padaria social no Haiti:






Sábado, 27 de janeiro.


 [Fazer um vulcão usando argila ou massa de modelar, deixando um espaço oco nele, em forma de tubo. Deixar secar bem. Veja dicas excelentes para esse tipo de vulcão AQUI.] 

 [Colocar algumas casinhas de papel e bonequinhos em volta do vulcão. Na hora da história, colocar vinagre dentro do tubo. Explicar o que é um vulcão. Se houver um mapa, mostrar onde fica Vanuatu e a distância dela para o Brasil. Opção: Colocar o vulcão como se fosse uma ilha sobre um isopor pintado de azul. Fazer outra ilha ao lado. Ter barquinhos e pequenos bonecos.]

Maquete de vulcão
Fonte: http://professor-zezinho.blogspot.com.br/2013/02/maquete-de-vulcao-em-erupcao.html

               [No cantinho das missões, colocar a figura da menina de Vanuatu, do Nautilo, um pouco de arroz e um côco. Colocar também a figura da menina peruana (que é a mesma da Bolívia), da lhama e uma batata e uma espiga de milho.]

Para conhecer um prático típico de Vanuatu, leia um artigo AQUI (faça as adaptações para a culinária vegetariana).


Náutilo

Fonte: https://br.pinterest.com/pin/453596993703909015/?lp=true



Menina de Vanuatu



Menina do Peru
Fonte: http://levangelisation.eklablog.com/enfants-du-monde-entier-special-mission-a63845921


Llama
Fonte: http://1papacaio.com.br/modules.php?op=modload&name=Cliparts&file=index&do=showgall&gid=373

[Dizer;] Vanuatu é um país formado de várias ilhas. Em uma delas, chamada Ambae, existe um vulcão chamado  Manaro Voui que ficou quietinho por muitos e muitos anos. Um dia  algo mudou. Começou a sair muita fumaça da cratera, com gases venenosos e pedras, que eram lançadas bem longe. Havia também uns estrondos terríveis. [Bater com um talher em uma lata.] As pessoas começaram a ficar com medo porque perceberam que o vulcão logo entraria em erupção. Então, o governo mandou todos os moradores saírem da ilha.  Eles tiveram que abandonar suas casinhas, entrar em um barco só com uma pequena bagagem e sair o mais depressa possível de lá para outra ilha. [Tirar  os bonequinhos. Se usar o restante da maquete, colocar os bonequinhos em barquinhos e levá-los a outra ilha.] Entre essas pessoas estavam cerca de trinta irmãos nossos.  Eles saírem sem ter um lugar para morar, emprego ou dinheiro. Eles foram com o coração assim. [Mostrar rosto triste.] Mas, graças às ofertas enviadas de várias partes do mundo, nosso departamento de assistência social pode providenciar comida, água, remédios e barracas para que eles se abrigarem até poderem voltar para suas casas. Com essa ajuda, os irmãos ficaram o rosto assim. [Mostrar o rosto feliz.]
 O vulcão ficou em atividade por algum tempo.  [Colocar  2 ou 3 colheres de bicarbonato de sódio no tubo com o vinagre e a espuma começará a derramar-se pela encosta do vulcão.] Graças a Deus ninguém ficou ferido e a lava não destruiu a ilha. Assim, nossos irmãos puderam voltar para lá.

Outra calamidade onde as ofertas socorreram nossos irmãos aconteceu no Peru, que tem certas regiões onde nunca chove e as casas não estão preparadas para enfrentar a chuva. Por isso, em março de 2016, quando houve grandes chuvas, algumas tragédias aconteceram. Rios que antes eram bem pequenos, se encheram de repente e levaram as casa construídas às suas margens. Casas feitas de barro começaram a se desmanchar. Em outra parte, das montanhas vinham grandes enxurradas de lama, chamadas huaicos, que levavam animais, casas, árvores e pessoas. Milhares de pessoas perderam seus suas casas. Muitas morreram. Graças a Deus, não perdemos nenhum irmão. Mas, cerca de 130 famílias de nossa igreja foram prejudicadas nesta tragédia. Sete igrejas foram danificadas, sendo que 5 tiveram que ser completamente demolidas e reconstruídas. Duas mais tiveram sérios danos. Inclusive em uma, a sala da ESIR foi levada pela água. Nossos irmãos peruanos precisavam de água, comida, roupas e abrigo. Eles estavam assim. [Mostrar o rosto triste.] Mas, com as ofertas que foram enviadas de várias partes do mundo, todas as famílias foram visitadas e atendidas. Nenhum deles passou necessidade. Algumas casas foram reconstruídas, outras consertadas, outros receberam casas em outro lugar para morar, dadas pelo governo. As igrejas danificadas foram consertadas e quatro estão em reconstrução. Nossos irmãos de lá ficaram assim. [Mostrar rosto feliz.]
Sábado que vem é o dia de entregarmos nossa oferta para ajudar esse departamento que trabalha pelos nossos necessitados. Assim, quando surgirem essas dificuldades, o departamento de assistência social poderá prestar uma boa ajuda. Vamos economizar mais durante essa semana para conseguirmos enviar uma boa oferta para lá. Enquanto isso, vamos ajudar nossa associação aqui a cuidar das igrejas daqui.

[Cantar “Plim, plim”, enquanto as crianças colocam suas ofertas no coletor.] 



 Sábado, 03 de fevereiro.

[No cantinho das missões, colocar a figura da criança do Congo, do elefante, do gorila, hipopótamo. Se quiser, pode colocar uma polenta de fubá, uma das comidas mais populares da República do Congo.] 


Criança da República do Congo (Criança africana)



Animais da República Democrática do Congo



Fonte: freepik.com


Para saber mais sobre a culinária da República Democrática do Congo, 
leia um ótimo artigo AQUI e AQUI.



[Mostrar a República Democrática do Congo no mapa e dizer:] Bem no centro da África há um país chamado República Democrática do Congo, que tem muitas riquezas naturais. Mas, apesar disso, o povo de lá está entre os mais pobres do mundo. Sabem por quê? Porque há uma guerra entre eles há mais de 20 anos e todas as riquezas ou são usadas para comprar armas ou são roubadas por estrangeiros.    A pobreza é tão grande que, em muitas regiões, quando possível, as pessoas se alimentam uma vez ao dia. 
Norte Kivu é uma província da República do Congo onde temos centenas membros da igreja. Além da grande pobreza, esses irmãos enfrentam outro sério problema. É que lá, nas escolas do governo, é obrigatório que as crianças assistam aulas aos sábados. Para não transgredirem o mandamento de Deus, os pais não mandam os filhos à escola e eles crescem sem estudo algum. Naquela região temos cerca de 500 crianças que quase não têm o que comer e também não podem ir à escola. Que triste, né?
Para ajudar os irmãos de lá, a assistência social de nossa igreja comprou uma área de terra para os irmãos plantarem e colherem juntos, formando uma cooperativa. Assim, eles podem garantir o sustento de suas famílias. O outro plano foi o de construir uma escola para 600 alunos onde, além de estudar, as crianças receberão uma refeição. Mas, tudo isso custa muito dinheiro, não é? Na verdade, para começar o projeto a assistência social precisava de R$12.000,00. Como conseguiria esses recursos?  Então, inesperadamente, uma pessoa da Áustria enviou uma oferta de $11.980,00 dólares para as crianças da África. Na verdade, Deus enviou o dinheiro para que começassem a obra! Hoje a construção da escola já está bem adiantada e uma sala já está funcionando e atende cerca de 70 crianças. Ainda é preciso terminar as outras nove salas e instalações da escola. E agora nós teremos a oportunidade de ajudar nesse e em outros projetos enviando nossas ofertas para o departamento social de nossa igreja no dia 03 de fevereiro.

[Cantar “Plim, plim”, enquanto as crianças colocam suas ofertas no coletor. Em seguida, contar o dinheiro na presença das crianças e somar com o valor arrecadado no bazar. Dizer:] Vamos ver quanto conseguimos juntar? [Ao terminar, se o alvo foi alcançado, comemorar com as crianças e colar os emojis de parabéns. Se não foi, agradecer e incentivá-las a alcançarem da próxima vez. Colocar a oferta em um aviãozinho de brinquedo e conduzi-lo o cantinho das missões. Colocar lá roupas de bonecas, remédios, curativos e pacotinhos de alimentos para mostrar o que será feito com as ofertas.] 


Fotos da irmandade em Norte Kivu









Igreja



Escola em construção








Nenhum comentário:

Que bom que você veio!

Volte Sempre!